Sobre certo filme

De: Suely 

Para: Welington  

Campanha publicitária


Você já ouviu falar do filme Elysium???

O filme mostra a divisão do mundo entre os ricos que vivem em ELYSIUM no espaço (um lugar riquíssimo mesmo) e os pobres numa tremenda degradação na Terra.

Os seres humanos, possuem uma demarcação na pele tipo um chip, que ali contém seu DNA, histórico criminal e até mesmo suas enfermidades. 

Os pobres sonham em morar em Elysium, porque lá tem a cura de tudo, e é um mundo belo.

O melhor de tudo pra mim foi a atuação do grande Wagner Moura, adoro esse cara, vulgo CAPITÃO NASCIMENTO do Tropa de Elite.

Assunto: Re: Campanha publicitária




De: Welington   

Para: Suely



Eu vou ver!!! Tentei, mas a Jade queria ver “As bem-armadas” – engraçado, com a Sandra Bulock. Também vi o Wagner Moura nos cartazes!

Hollywood tem influencia de vários diretores meio-que-malucos, tem a galera da Cientologia, tem os revoltados com o sistema e os que bancam a coisa toda: Os donos dos estúdios, uns 100 no total, 10 gigantescos e os satélites.  

Os grupos que financiam os estúdios tem por sua vez diversas e alguns… macabras  ideologias.  

Uma BABEL de crenças, filosofias, religiosidade e outras coisas, além dos que seguem essa ou aquela visão (muitos diretores de ficção por exemplo realmente acreditam em ET´s. O que você vê nas telas é imaginado, sonhado e até esperado. A temática acompanha os medos,  os provoca. 
Ou os mantém. 
Cinema é meio poderoso de difundir, impactar jovens, que viram adultos e ficam com as imagens em suas mentes. 

Não só as imagens, mas os conceitos

Já viu no Brasil a idolatria ao Justin Bieber? Meninas que acampam-se para comprar ingressos meses antes que venha o ídolo. Choram passam mal, tremem.  A imagem, a musica, a fama, o sucesso, a adoração das pessoas, a riqueza, o glamour, os valores que na verdade não são tão valiosos são apresentados de forma adornada, soberba, atraente, envolvente.  

Lembra-me a velha apresentação (PPS) do superviolinista que pagavam mais de $ 100,00 dólares por5 ingresso para ver uma única apresentação, mas quando foi tocar no METRO, sem ser anunciado, poucos pararam para apreciar. E ainda jogaram algumas moedinhas (na verdade conseguiu $32,00).

  

http://noticias.terra.com.br/popular/interna/0,,OI1539036-EI1141,00.html

GRIFE, as pessoas correm atrás de grife, o perfume pode ser uma droga, mas se for importado…Se vier num vidro especial…se o astro de cinema estiver anunciando… 

Pausa técnica.
Diz pra mim porque eu usaria um perfume anunciado pelo sujeito que protagonizou o Lanterna Verde? 
  
Fim da pausa técnica.

O cinema americano vende idéias, roupas, bugigangas inúteis, modo de vida. Ele passa informações pouco relevantes, e conceitos… pre-conceitos… conceitos deturpados… e até desconceitos, se é que isso existe.

Outro dia! Um filme sobre turistas americanos torturados numa cidade da Europa (Albergue I e II) – mensagem  que fica: – Querido cidadão americano, não vá a determindas regiões da Europa – lá eles comem criançinhas. 
No Brasil se você se perder vão cortar você para vender os órgãos no meio da floresta amazonica,  que por sinal, fica no Rio de Janeiro (O turista) – mensagem – Não vá ao Brazil! Terra perigosíssima – Lá eles comem criançinhas. Outro – o pobre-coitado-agente-da-CIA tem que legitimar a tortura para encontrar sua filha  que foi raptada e vai ser vendida a um rico árabe na França. (Busca Implacável). – Mensagem – Olha, a tortura é aceitável para salvar a vida de nossos filhos e filhas e evitarem que sejam vendidas no mercado negro! Ou mais ou menos isso.  
Só que não.

Outro: Os terroristas asiáticos vão destruir a Casa Branca e por isso o super guarda-costas vai ter que sozinho matar umas 50 pessoas pra resgatar o presidente, enquanto a secretaria é espancada e jura LEALDADE a BANDEIRA.(não vá ver essa porcaria não, acho que é (Invasão a Casa Branca). Não satisfeitos –  fizeram outro: Ataque a Casa Branca.  
Tem a cena da secretária sendo arrastada pra ser espancada e jurando lealdade a bandeira americana! Vixe Maria! Percebeu a mensagem ideologica por detrás, não é por uma BANDEIRA que vale a pena morrer!  Não confunda ESTADO e NAÇÃO!  Vale a pena por uma causa justa, pela salvar vidas, para preservar não uma REGIME ou UMA BANDEIRA! Mas vale a pena arriscar a vida por GENTE! Pra defender pessoas, para evitar justamente aquilo que uma guerra faz, que é matar o inocente. Mas as guerras, são, na maioria dos casos, fruto de falsidade, armadas, politicas, criadas por mentiras, economicas, o dinheiro as cria não para defender pessoas, mas defender ao sistema!   

Bruce Willys em Duro de Matar I, II, III, IV, V repete um velho refrão:

“Tudo por causa do maldito dinheiro”. 
Nunca existe um terrorista honesto, idôneo, morrendo por seus ideais. É sempre um plano para parecer ato terrorista, mas no fundo o que querem é a grana.

Tem a sutileza de anjos sempre aparecerem com os olhos negros, incluindo os globos oculares. Não sei se vc já viu.  Ficam parecendo um sapo. 

O mal é sempre, sempre, sempre, poderosíssimo. O bem? Essa joça não serve   pra quase nada. 

Os demônios em Hollywood são cósmicos! Fe-no-me-nais, e nunca, absolutamente nunca são impedidos mediante alguma manifestação do poder de Deus.  

Que por sinal sempre está morto nessas produções. 

É sempre um bruxo com base em algum antigo encantamento, que à duras penas enfrentará a criatura dos infernos, com base em algum antigo encantamento.

  

Igreja em Hollywood? É sempre um mausoléu…a maioria das vezes vazia…bancos imensos…musica ruim… Fora um ou outro musical. 

Sempre que os demônios, pequenos grandes, etéreos, seja como for,  aparecerem em filmes…a humanidade tem mais é que perder a esperança ( Arraste-me para o inferno… O exorcista… etc).   

O fim chega sempre pra humanidade TECNOCRATA e salve-se quem puder! 
Só que não. 

Todo mundo morre. 

Ou quase todo mundo.

(uma das razões pra eu amar o cinema indiano é que as histórias e os motivos são melhores)

Sim. Existe uma galerinha mal-intencionada criando cinema para fazer propaganda de porcaria espiritual, de lixo social, de xenofobia, suave apologia a sexualidade sem moral, narrativas sobre desintegração familiar, misticismo, e etc e tal.  Com enfase no etc e tal. 

A outra galerinha, além dessa ai do parágrafo anterior, mira na sociedade de consumo. A terceira é a que impede um abordagem que leve à reflexão, atuando para alienação. 
A verdade normalmente é um instrumento perigoso…

CONTUDO, entretanto, todavia, entrementes, apesar de:
  

Tem um lado bom.

É que a criatividade humana é um espetáculo difícil de manipular. 
Ou  de conter..
E enquanto houverem príncipes, princesas, heróis e heroínas, gente que ama, gente que sorri, dança, grita de alegria, vence, sendo representada nas telas do cinema…  enquanto houverem boas histórias a serem contadas, significa que temos atores, diretores, roteiristas sendo  iluminados. 

 A luz é uma coisa muito, muito, muito difícil de ser contida. 

Paulo dizia, tudo que ´bom, tudo que é decente, tudo que gera edificação, pensem nisso.  

A maioria dos filmes tem alguns minutos de alegria verdadeira sendo representada. 
Vemos parábolas, símiles, figuras, narrativas, imagens que nos lembram coisas excelentes. 
Milhares de filmes possuem – mesmo que não fosse essa a intenção dos autores – mensagens que nos emocionam, que nos fazem pensar. Trechos de filmes agem como se lêssemos histórias das Escrituras. E O fabuloso Fator Melquisedeque. O primeiro a utlizar o termo foi o teólogo Don Richardson, autor do livro de mesmo nome:“Fator Melquisedeque”,
 A realidade prevista lá em Eclesiastes:

       “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim.” (Eclesiastes 3:11).

Existe uma questão interessante nisso tudo: Diretores não podem falar abertamente sobre alguns temas.  Então usam da parábola. Apresentam uma história com MUITOS significados. Permitem diversas leituras.  

Minhas filhas perceberam que a leveza de condução de alguns filmes por determinados diretores podem mudar o peso de uma história.  Há uma brutal diferença no clima de Harry Potter após o segundo filme.  O diretor dos dois primeiros era o mesmo do “Diário de uma princesa”, ele trata os personagens com cuidado para o publico juvenil.  

Tinha um diretor indiano que morreu a pouco cuja narrativa de uma história de amor era muito bela. Amado pelos atores e roteiristas. 
O diretor de cinema indiano Yash Chopra,

Então,

são muitas fontes das histórias cinematográficas, algumas com certeza  tem histórias possuem uma não tão dissimulada  intenção de alguma sociedade oculta, tipo os clássicos iluminatti, 
  

mas…
CONTUDO, entretanto, todavia, entrementes, apesar de:

mesmo o que dizem ou o que planejam dizer nem sempre sai do jeito que é esperado por eles ( qua-qua-qua-qua-qua)…

Tem milhares de filmes esquecidos, abandonados e que sequer  são alugados… Nem por eles mesmos. 

A humanidade ainda busca coisas que a emocionem, edifiquem, a fortaleçam. 

O evangelho também guarda o coração de muitos. Lembre de Jesus dizendo: …Se BEBEREM alguma coisa mortífera…não lhes causará dano algum…

filmes-cianureto sendo distribuídos por ai. 
Filmes venenosos, perturbadores. Algums dos assassinatos ocorrendo agora em muitos  lugares foram inspirados por eles. 
Tem gente que está em depressão profunda e que piorou por causa de alguns desses.

Afaste-se do que te perturbar.

E abrace aos que te fizerem sorrir, ou emocionar. 

E não se preocupe muito com as mensagens subliminares…escondidas ou declaradas.  
História ruim é sempre sempre história ruim.

Não importa quem foi o demônio que os tenha escrito…

Porque bom roteiros são escritos no céu. 

Já dizia Vinicius de Moraes num texto que sempre atribui a Cecília Meirelres. Não. O tal texto não fala de cinema. Mas olha só a frase final do poema:

A Porta

 

Vinicius de Moraes

Eu sou feita de madeira
Madeira, matéria morta
Mas não há coisa no mundo
Mais viva do que uma porta.
Eu abro devagarinho
Pra passar o menininho
Eu abro bem com cuidado
Pra passar o namorado
Eu abro bem prazenteira
Pra passar a cozinheira
Eu abro de supetão
Pra passar o capitão.
Só não abro pra essa gente
Que diz (a mim bem me importa…)
Que se uma pessoa é burra
É burra como uma porta.
Eu sou muito inteligente!
Eu fecho a frente da casa
Fecho a frente do quartel
Fecho tudo nesse mundo
Só vivo aberta no céu!

Welington José Ferreira

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: