Por um novo Brasil

Custou cerca de quinhentos anos, uma monarquia, duas guerras mundiais, uma ditadura e diversas crises econômicas. No meio do percurso guerras vergonhosas, piratas ingleses contratados, expulsão dos holandeses, luta armada com espanhóis, guerra com os franceses, e a morte de 3 milhões de índios. O Brasil é um país de tremendas contradições. Olga Benário Prestes se estivesse viva diria a mesma coisa. Contudo, possui um legado multicultural surpreendente, apesar das suas contradições.
Por centenas de anos os brasileiros foram expropriados por homens corruptos disfarçados de políticos legítimos, ligeiramente encobertos por movimentos secretos de origem duvidosa, ou por ideologias que tinham uma única essência, manter o poder a qualquer custo para vivenciar de modo singelo a sua inenarrável paixão ao dinheiro.
Nosso país é pródigo em esculturas e monumentos arquitetônicos que escondem outros significados além dos narrados nos livros de história, trazendo em si uma sinistra assinatura, como marcos de propriedade, como se alguns dissessem…essa terra nos pertence.
Só que não.
Esse é o grande problema das sociedades secretas e das caveiras e ossos que elas teimam em desenterrar meia duzia de vezes. Esse o de tentar perpetuar o status quo, a luz de um sentimento que só o Coringa poderia explicar.
Mas contra a vontade legitima manifesta de milhões há sempre um terror indisfarçável no meio da escuridão.
Há hoje, crescendo, uma revolta legitima contra a ilegitimidade, contra a falcatrua, a roubalheira, a pilantragem, contra o desvio continuo de verbas públicas, contra essa contundente desorientação politica, manifesta na falta de planejamento integrado, nessa tentativa histórica frustrada de fazer com que as coisas não mudem nunca. E todas as alcunhas da frase anterior são expressões condescendentes. Não traduzem nem de longe o significado da perfídia escondida. Nem o que significa o empobrecimento de milhões.
Tudo para que alguns possam gritar: – Mudança! Com o coração tão cheio dela quanto um tatu anseia o asfalto ao invés de terra.
E isso num gigantesco palco de 8,5 milhões de metros quadrados, iluminado por esdruxulas e bruxuleantes divagações econômicas, diante de uma população esmagada pela caótica estrutura de educação, quase sempre em ruínas, e por circunstancias que não se alteram nunca, independente de quem assuma o poder administrativo brasileiro.
Certamente a pobreza gera votos, tão certo como o assistencialismo minimiza a miséria, mas escancara a voluntária e premeditada ausência de projetos que possam mudar radicalmente a questão social brasileira.
Milhares de homens e mulheres se lançam na politica não entendendo que cada passo em direção a sua avareza e da vontade de seus senhores, mesmo sendo livres, se tornam escravos dos donos dos recursos de suas campanhas, servindo aos poderes feudais contemporâneos que lhes conduziram as suas posições, administrando insidiosamente a destruição dos recursos naturais e conduzindo sua própria nação a um genocídio. E olha que eu teria que multiplicar por sete a longa frase anterior para começar a exagerar.
A antiga companhia das Índias ocidentais devastou a riqueza e a cultura, escravizou de tal modo a nação indiana que ainda hoje, apesar de Ghandi, as mães em Bangladesh vendem suas filhas para a prostituição.
Os grandes empréstimos que o Brasil tomou da mão de banqueiros ingleses no início do século passado criaram abismos financeiros de tal monta que ainda hoje o país paga dividendos não só a uma nação estrangeira.
As cidades brasileiras possuiam cemitérios em cada porto para enterrar os milhares de escravos que já chegavam moribundos. Eles eram empilhados porque seus comerciantes ganhavam por numero de escravos, e ainda tinham seguro para os que morriam pelo meio do caminho.
A injustiça ganhou no nosso país contornos absurdos.
Guerras com as nações vizinhas (Paraguai, Uruguai) por motivos inadmissíveis e tão vergonhosos que não são citados nas aulas ou livros de história, geraram dividas não saldadas com milhares de brasileiros dando origem a maioria das favelas atuais.
O germe que amaldiçoa uma nação é sempre o mesmo. Ganancia disfarçada de muitas formas, amor ao poder e nenhuma consideração pelo destino alheio.
O amor a justiça e a idoneidade em todas as suas formas é um motor que pode transformar um país.
O poder estabelecido por uma geração que ama sua terra, que possui ideais, que grita pela renovação, que anseia por um mundo absurdamente novo pode realizar coisas inacreditáveis.
No meio da multidão dos jovens que hoje pintam seus rostos há uma luta invisível dos poderes constituídos se debatendo, até na violência paga com gente infiltrada, ecos de desespero daqueles que sabem que irão perder seu pérfido mundo se a honestidade e a compaixão vencerem.

It cost about five hundred years, a monarchy, two world wars, dictatorship and several economic crises. In the midst of this journey some shameful wars, support English pirates hired, the expulsion of Dutch armed struggle with Spanish, French war and the death of 3 million Indians. Brazil is a country of tremendous contradictions. Olga Prestes Benário if alive would say the same thing. However, it has a surprising multicultural legacy, despite its contradictions.For hundreds of years the Brazilians were expropriated by corrupt men disguised as legitimate policy shrouded in secret moves of dubious origin, or ideologies that had a single essence, maintain power at any cost to experience its indescribable passion for money.Our country is lavish sculptures and architectural monuments that hide meanings beyond narrated in the books of history, bringing an ominous sign, as if they were landmarks property, as they proclaimed … this land belongs to us …Only not.This is the great problem of secret societies and their skulls and bones that insist on digging up half a dozen times. This attempt to perpetuate the status quo, the light of a feeling that only the Joker could explain.But the legitimate and manifest will of millions … there is always an undisguised horror in the darkness.There is now growing a legitimate revolt against the illegitimacy against the scam, the robbery, the malfeasance against the diversion of public funds, disorientation against this policy, manifested in the lack of integrated planning, this failed attempt of the historical origin of the things do not change ever. And all the nicknames of the preceding sentence are expressions condescending. They do not reflect, nor about the real meaning of treachery hidden in them. Or what is the depletion of millions.All so that some may shout: – Occur changes! With a heart so full of it as an armadillo longs asphalt instead of land.And this happening live in a gigantic stage of 8.5 million square feet, lit by bizarre ramblings economic, before the face of a population overwhelmed by chaotic structure in their education, mostly in ruins, and circumstances do not change ever regardless of who takes the Brazilian administrative power.Certainly poverty generates votes, as sure as the welfare minimizes the misery, but also reveals the absence of voluntary and premeditated projects that could radically change Brazilian social issue.Thousands of men and women are engaging in politics not understanding that each step toward his avarice and the desire of their masters, even being free, become slaves of the owners of the resources of their campaigns, serving contemporary feudal powers which they conducted the their positions, managing insidiously destroying the natural resources of their own nation, leading to the genocide. And see, I would have to multiply by seven the long preceding sentence to start exaggerating.
 
The former company of the West Indies devastated the wealth and culture and enslaved so that the nation of India today, despite Ghandi, mothers in Bangladesh still sell their daughters into prostitution.Large loans made by Brazil with English bankers at the beginning of the last century, have created financial gaps that still pays dividends to the country several foreign nations.Brazilian cities possessed cemeteries in each port to bury the thousands of slaves who arrived already dying. They were stacked because their traders earned a number of slaves, and still had insurance for those who died by the way.The injustice in our country gained contours absurd.Wars with the neighboring nations (Paraguay, Uruguay) and inadmissible for reasons such shameful that are not mentioned in history books or classes, generated debts not settled with thousands of Brazilians giving rise to most existing slums.The germ that curses a nation is always the same. Greed disguised in many forms, love of power and no regard for the fate of others.The love of justice and trustworthiness in all its forms is an engine that can transform a country.The established power for a generation who loves his land, which has ideals, which cries out for renewal, who longs for a outrageously new world can accomplish incredible things.In the crowd of young people today who paint their faces there is a struggle of invisible powers that be floundering until paid in violence with people infiltrated echoes the desperation of those who know they will lose their perfidious world if they win the honesty and compassion.
E se ao invés de monstros em alguns lugares estratégicos, existissem homens que amassem a humanidade?
O grito de esperança brasileiro é esse, da manifestação de uma cidadania participativa, um colossal movimento de tomar as rédeas das escolhas que se farão, vislumbrar uma nação onde haja tanta vontade de acertar, de criar novas estruturas, de solucionar os problemas complexos, de equacionar o bem, que ressoem gritos de alegria em toda a extensão do nosso país.
Não há como impedir a ganancia humana. Mas a justiça a sufoca e a benevolência a contém. Propósitos excelentes contaminam a terra e deixam de herança vocações para o amanhã que ultrapassam tudo o que o dinheiro pode destruir. E veja que o amor ao dinheiro pode destruir a quase tudo.
Quase a metade do orçamento federal do próximo ano, exatos 42%, está destinada ao pagamento da dívida pública brasileira. Dos 2,14 trilhões de reais gerados, 900 bilhões serão gastos com o “pagamento de juros e amortizações da dívida pública, enquanto estão previstos, por exemplo, 71,7 bilhões para educação, 87,7 bilhões para a saúde, ou 5 bilhões para a reforma agrária”.
E pensar que foi uma diferença de 0,20 reais no preço das passagens. que pode dar inicio a um imensurável economicamente falando, mundo de mudanças.
Que os trilhões de dólares usurpados em forma de juros e por tantos outros meios pouco ortodoxos, parte dos quais usados para que os brasileiros não acordassem, fossem derrotados por uma moedinha que nós sequer possuímos.
Possuímos a moeda de 5, 10, 25, 50 centavos e a de 1 real. Mas não possuímos uma moeda de 20 centavos.
O grito no coração e na alma da gente, parafraseando o poeta, reflete a necessidade de justiça em diferentes setores. São tantos assuntos a serem tratados e gritados, que envolvem desde os milhões de metros cúbicos de madeira contrabandeados até milhares de patentes de remédios desenvolvidos a partir da flora brasileira; desde as jazidas de minério escondidas em meio a mapeamentos geopolíticos que envolvem questões indígenas até a doação da lavra para industrias que exploram jazidas sem que tais riquezas minerais promovam o crescimento brasileiro.
Um grito que deve ser dado pela integração nacional de uma malha ferroviária que morreu antes de nascer por razões que vão desde a borracha orgânica, que quase nos tolheu o Acre, já dizia Rio Branco, até aos interesses de justamente algumas empresas da área de transporte próxima aquela que hoje briga pelos 20 centavos.

And if there were, instead of monsters in some strategic places, men who loved humanity? The cry of hope Brazil is the manifestation of a participative citizenship, there is a massive movement to take the reins of future choices, envisioning a nation so eager to get right, so eager to create new structures, to solve complex problems, to perform well, resulting in cries of joy to the fullest extent of our country. There is no stopping the human greed. But justice and generosity to suffocate imprisons her. Excellent purposes can contaminate the earth and leave behind for tomorrow vocations beyond everything that money can destroy. And see that the love of money can destroy almost everything. Almost half of the federal budget next year, exactly 42% is allocated to the payment of the public debt. The actual generated 2.14 trillion, 900 billion will be spent on the “payment of interest and amortization of debt while they are provided, for example, 71.7 billion for education, health 87.7 billion, or 5 billion for agrarian reform. ”
And to think that a difference of 0.20 reais in air fares can begin a immeasurable change .. And to think that the trillions of dollars impinged form of interest and many other means unorthodox, part of which used to that Brazilians do not wake up, they were defeated by even a penny we have. We have a coin 5, 10, 25, 50 cents and 1 real. But we do not have a coin of 20 cents.
The cry in the heart and soul of the people, to paraphrase the poet, reflects the need for justice in different sectors. There are so many issues to be addressed, since they involve the millions of cubic meters of timber smuggled up thousands of patents on drugs developed from the flora, from the ore deposits hidden amid geopolitical mappings involving also indigenous issues even donation to the mining industries that exploit these deposits without mineral wealth promote Brazilian growth. A cry that should be given by the integration of a national railway who died before birth for reasons ranging from organic rubber, that almost lost us the state of Acre, championed by the Baron of Rio Branco, to the interests of some companies the area of ​​transportation that fight today by 20 cents.
  

E lá ia Ghandi as margens do Ganges com uma população quase indigente destruindo as fronteiras de sua dominação econômica.
E lá pelas tantas, Dom Pedro II olhava com descrédito nos olhos de seu ex-amigo e marechal perguntando: porque tinha que fugir a meia-noite da revolução anunciada se não iria usar violência para se manter no poder? Afinal não era isso, o modernismo da denominada Republica que tanto ansiavam… alguns?
A justiça habita gente, não regimes. A idoneidade gostaria de morar em seres humanos e não em teorias sociais. O amor não se exerce com base em instituições. Ele é que deveria ser a base de todas as instituições.
Não é um modelo de governo, uma ideologia, ou qualquer outra invenção jurídico-político-administrativa que concederá a uma nação sua desejada prosperidade.
Antes disso, é a retidão de seus dirigentes, é a grandeza humana por detrás dos discursos, é a chama de comprometimento queimando nos corações que possuem aspirações verdadeiras. A soma dos rostos que pintam a bandeira brasileira nas capitais de nossas cidades soa aos meus ouvidos como um convite tácito para a realização dos sonhos de uma nação.
Sonhos que não é exclusividade de nenhum regime politico, de nenhum partido, são fruto de humanidade plena exercendo poder politico consciente e constrangedoramente verdadeiro.
A dissimulação de propósito é uma doença que corrói a esperança, e a bendita vocação para o bem, uma dádiva que ironicamente é desprezada como coisa que não possui qualquer valor em determinados círculos, quadrados ou elipses.
Uma moeda que não existe possui hoje o potencial de mudar a história de corrupção financeira de uma nação. E a voz do jovem brasileiro hoje se torna um grito que começa a ficar ensurdecedor.


And Ghandi walked the banks of the Ganges with indigent population destroying the boundaries of their economic domination.
And there in the wee hours of the night, Dom Pedro II looked with disbelief in the eyes of his former friend Marshal and asking why he had to flee at midnight of the Revolution where announced it would not use violence to stay in power? After all it was not so – called Republic of modernism – both it longed … some people?
The righteousness dwells people, not regimes.  the Honesty lives in humans and not in social theories. Love is not exercised from the institutions. Institutions that legitimize itself through love.
It is not from any governance model, of an ideology, or any other invention juridical-political and administrative that one nation will reach your desired prosperity.
Before that, it is the righteousness of its leaders, is human greatness behind the speeches, the flame is burning in the hearts of commitment that who have true aspirations. The sum of the faces that paint the Brazilian flag in our capital cities sounds to my ears like a tacit invitation to the realization of the dreams of a nation.
Dreams that is not exclusive to any political regime, of any party, are the result of full humanity exercising political power so conscious and so embarrassingly truthful.
The concealment of purposes is a disease that destroys hope. The blessed vocation for good is a gift which ironically is dismissed as something that has no value in certain circles,

A currency that does not exist today has the potential to change the history of financial corruption of a nation. And the voice of the young Brazilian today becomes a scream that starts getting deafening.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: