Epimenides

Paulo certa feita  cita autores conhecidos do seu auditório em Atenas. 
O filósofo Epimenides, de Creta, tinha dito acerca do deus grego Zeus: “Os cretenses, sempre mentirosos, bestas más, ventres preguiçosos, forjaram uma tumba para ti, oh santo e elevado. Mas tu não estás morto. Tu vives e permanece para sempre. Porque em ti vivemos, nos movemos e temos nosso ser”. E também cita Arato, que em um poema sobre os “Fenômenos Naturais”, afirmara: “Comecemos com Zeus. Nunca deixemos de mencioná-lo, oh mortais! Todos os caminhos e todos os locais onde os homens se reúnem estão plenos de Zeus. Em todos os nossos assuntos temos que ver Zeus, porque somos também sua geração.”
Epimênides (Epimenidēs), poeta, filósofo e místico grego, e Profeta (de acordo com apóstolo Paulo em Tito 1:12 em que faz citação de sua obra Cretica), viveu em meados dos anos 600 a.C.

Epimênides nasceu em Cnossos, na ilha de Creta (segundo Estrabão, ele era natural de Festos, Creta[1]). Diz-se que esteve em Atenas no tempo de Sólon, onde os achados históricos, conforme descrito por Diógenes Laertius, lhe atribui ter limpado a cidade de uma praga que a assolava. Diz-se também que já visitara a cidade dez anos antes das guerras com os persas, sendo que as duas visitas estão separadas por mais de cem anos. Todavia, várias autoridades relataram que ele viveu entre 154 e 299 anos.
Algumas teorias infundadas sobre Epimênides alegava que ele podia “viajar fora do seu corpo” e que vivera outras vidas anteriores. Um episódio insólito sobre ele seria o de ter adormecido no interior de uma caverna, lá permanecendo por cerca de 57 anos.
Dito como “homem estranho” pelo seu povo, Epimênides era um dos poucos da sua época e região que criam em apenas um Deus e segundo conta Diógenes Laertius quando houve a praga em Athenas muito se fizeram de holocaustos para “apaziguar a fúria dos deuses”, que passavam de 30.000, ou seja, tinham mais deuses em estatuas nas ruas do que pessoas vivendo em Athenas, onde foram até chamados sacerdotes Egípcios e Babilônicos para tentarem resolver aquela praga, mas sem sucesso algum. Quando então lembraram o Deus único de Epimênides, então o chamaram. Ele mostrou-os o erro de adorarem deuses que não poderiam os ajudar em nada, e mandou que colocassem ovelhas no alto do areópago que estas iriam lhes mostrar o local onde esse Deus queria ser adorado. Então, num ato “místico” as ovelhas desceram o areópago e andaram até um local onte não havia nenhum tipo de idolatria. E ali os artífices contruíram um altar e como não sabiam o “nome” desse Deus, a mando de Epimênides talharam como “O DEUS DESCONHECIDO” (Assim como descrito em Atos 17:23), e assim conseguiram resolver o problema da praga.
 Em 1 Coríntios 15.33, Paulo cita a comédia de Menandro, Thais (as más conversações corrompem os bons costumes).

Porque os poetas gregos aproximaram-se de sobremaneira com a essencia da revelação divina.  E Paulo discernia aquilo que eles falavam que estava de acordo com a pessoa e o caráter da revelação das Escrituras. Porque eles também falaram de modo inspirado, para sua geração, dentro dos limites de sua humanidade, de sua experiencia com Deus. Porque Deus não permite que uma geração humana viva sem que haja um testemunho sobre sua pessoa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: