Para Intercessores

Respondendo a Intercessores

1) Qual o papel de um intercessor diante de uma enfermidade crônica de um membro da Igreja?

Um cristão quando intercede possui um objetivo claro. O que move seu coração é a NECESSIDADE. Ele tem fome e sede de ‘resposta de oração’, ele não possui sonhos que não sejam de preservação, de resolução, de livramento. Isso é fixo dentro do mais interior. Livrar o irmão da angustia, libertar o outro da dor que o limita. A indignação é uma de suas armas, um dos seus recursos para manutenção de sua fé. Enquanto houver no coração do homem e da mulher de Deus INDIGNAÇÃO pela situação de sofrimento de uma vida da Igreja, ele deve lutar pela cura, pela restauração, pela mudança. A indignação é a base para sua CERTEZA de que DEUS pode, quer e irá mudar a situação, se as Escrituras se cumprirem como devem se cumprir, se o Espírito de Deus não for restringido pela falta de fé, se houver a fé necessária no coração da congregação. Ele age como um médico que pesquisa incessantemente pela cura de um paciente. Não existe a possibilidade de findar no SE o ministério de intercessão. O Se não é resposta. O Se é deriva de uma pergunta. E o intercessor é AQUELE QUE CLAMA POR RESPOSTA.

( ) “e se for por causa de seu pecado” ou,
( ) “e se for da vontade de Deus” ou,
( ) “ e se isso é um mistério divino” ou,
( ) “ e se é para o aperfeiçoamento da fé de quem está passando pela provação” ou
( ) “e se essa tribulação é para provar o caráter do irmão” ou
( ) “e se isso é plano de Deus” ou
( ) “e se isso é para ensinar a paciência e a humildade”,
( ) NRA

Para o intercessor o motivo para o não atendimento de uma causa é sempre NRA.
Nenhuma das Respostas Anteriores.
O intercessor só cessa suas expectativas da resposta, da cura, do milagre, diante de:

1) Clara revelação ou teofania em que Deus apareça pessoalmente cercado de toda sua comitiva celestial dizendo: PARE!
2) Quando tiver em mãos a solução da situação.

3) Alguns DIAS depois que o irmão morreu. Se o enfermo morrer, o que pode acontecer por NRA, nem isso para o intercessor. Ele continua crendo na ressurreição da pessoa morta:

Hebreus diz:

35 As mulheres receberam pela ressurreição os seus mortos; uns foram torturados, não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma melhor ressurreição;

Pela fé mulheres na época da LEI tiveram a ressurreição de seus entes queridos. A parte b do versículo faz parte do axioma anterior que denominei de “Nenhuma das Respostas Anteriores”. Os profetas e servos tinham tanta FÉ na ressurreição FINAL, aquela que antecede o arrebatamento dos vivos, CRIAM de tal maneira no céu que POR ESCOLHA PESSOAL não aceitaram o livramento. AINDA que DEUS lhes tenha oferecido o LIVRAMENTO da situação que estavam passando, PREFERIRAM descansar.
Para tais casos, E SÓ PARA TAIS CASOS, prevalece a vontade do enfermo. Quer estar com o Senhor mais do que continuar na terra.
Mas a VONTADE DO ENFERMO também não é considerada pelo intercessor…

VOCÊ VAI VIVER…VOCÊ SÓ SAI DA TERRA ARREBATADO… O INTERCESSOR LUTA PARA A DESTRUIÇÃO DO QUE ENTRISTECE O CORAÇÃO DO FILHO DE TAL MANEIRA QUE ELE SINTA VONTADE DE MORRER.

O intercessor só dá uma colher de chá para os anciãos acima dos 90 anos. E com ressalvas.

2) E se não houver essa fé no coração de alguém? Ou uma dificuldade ou angustia pela qual o intercessor esteja passando que o desanime?

Um membro do Corpo desanimado é MOTIVO de intercessão. Algumas horas seremos os libertadores, noutra os libertados. Um ao outro ajudou, um ao outro disse esforça-te! Quando um membro diminui sua fé, os outros continuam CRENDO. Sua fé individual pode sofrer variações, mas a FÉ DO CORPO É INAMOVIVEL. A igreja é um animal celestial que LUTA pela causa do outro, que busca INCESSANTEMENTE as respostas, a maravilha, o milagre, a benção, AINDA QUE VOCÊ NÃO TENHA MAIS CERTEZA, ainda que não haja mais convicção em seu coração, o CORPO SUPRIRÁ a fé necessária de um membro. Então, mesmo que um enfermo NÃO CREIA na sua cura, A IGREJA irá continuar buscando sua cura, como o apaixonado busca o primeiro beijo de sua amada.

3) E se a pessoa pela qual o intercessor estiver orando vier a falecer? E se o desastre acontecer, o acidente, a perda, a desventura, a má notícia, o infortúnio?

O material de trabalho do intercessor é a desgraça. É a massa de sua pizza, é o cimento de sua construção. O intercessor crê no PODER de DEUS para restabelecer, reestruturar, refazer, destruir o infortúnio, para consolar, para produzir refrigério, para transformar o inferno em alegria.

No seu pescoço reside a força; diante dele até a tristeza salta de prazer. Jó 41:22

Em outra tradução, o DESESPERO salta de prazer. A função da intercessão na igreja é PRODUZIR a alegria. Seja através da manifestação do Poder, seja através da benção, da resposta, do sinal e do prodígio, seja concedendo ESPERANÇA, seja produzindo CONSOLAÇÃO sobrenatural. A angústia não é opção para o intercessor. O regozijo é a sua FINALIDADE, é o PORTO onde ele aguarda que a igreja alcance, que Ela vislumbre. Qualquer situação espiritual que pareça um castelo mal-assombrado, um cemitério, um velório, um hospital, uma ala de doença terminal dentro da vida, coração ou situação real vivida por uma família da igreja ou próxima a ela, não é lugar para DEIXAR ou PERMITIR continuidade na vida de ninguém. MESMO que esse lugar tenha sido escolha pessoal de alguém. Mesmo que o profeta ACHE que é o fim de seu ministério, que a situação familiar é FINAL, que a situação é LIMITE, o intercessor age como o anjo que alimenta ELIAS:

E o anjo do SENHOR tornou segunda vez, e o tocou, e disse: Levanta-te e come, porque te será muito longo o caminho. 1 Reis 19:7

Então o grupo de intercessão orará para a manifestação dos dons espirituais, para que DEUS oriente SOBRENATURALMENTE para livramento da situação, para que DEUS indique o que fazer, como fazer, onde fazer. O grupo de intercessão busca os recursos celestiais até os limites de sua unção, até os limites de sua fé, até os limites de seus dons.

E os limites do crente que ora, do grupo que intercede, do crente que busca, do cristão que exerce seu sacerdócio devem ser CONTINUAMENTE ULTRAPASSADOS. A ordem de Deus para sua Igreja é:

Sempre devemos, irmãos, dar graças a Deus por vós, como é justo, porque a vossa fé cresce muitíssimo e o amor de cada um de vós aumenta de uns para com os outros, 2 Tessalonicenses 1:3

Amplia o lugar da tua tenda, e estendam-se as cortinas das tuas habitações; não o impeças; alonga as tuas cordas, e fixa bem as tuas estacas. Isaías 54:2

Não tem pra onde correr. O único lugar seguro onde a fé se estabelece é ADIANTE. EM FRENTE. AVANTE.

O intercessor não se porta como o adorador se porta. No início de JÓ, ELE AGE COMO UM ADORADOR. A desgraça bate a sua porta, e ele perde tudo que possui então sob a pressão de sua muito angustiada esposa, debaixo de intensa aflição, ele ADORA:

E disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o SENHOR o deu, e o SENHOR o tomou: bendito seja o nome do SENHOR. Jó 1:21

Muitos meses se passaram. Cerca de nove meses. Seus mais chegados amigos o vêm naquela situação e por sete dias ficam junto a ele em silencio. Absoluto silencio. Então algo acontece dentro de seu coração. Jó é um dos mais antigos livros das Escrituras. Anterior a revelação da Lei. Jó não possuía a Palavra Escrita onde basear sua fé. Jó não possuía PROMESSAS nas quais invocar, nas quais se apoiar. Ele não é judeu. Ele era o próprio sacerdote de sua casa. Chega um instante que algo se rompeu em seu interior. Ele está doente a meses, quase não dorme por causa das ulceras que brotam de sua pele e por sonhos e pesadelos terríveis, nos quais pensa estar sendo sufocado. Jó nada sabe sobre os céus, ou sobre o inferno. Ele não conhece Satanás, ele não conhece sobre hostes, poderes, soberanias, potestades. Ele não possui um “til” sequer das Escrituras. Mas ele possuíra uma vida íntegra. Até onde ele pode vasculhar de sua conduta passada, antes mesmo do anuncio da purificaçâo dos pecados, antes do calvário, antes de qualquer tipo de justiça que pudesse ser dada a ele, acreditará na sua inseparável inocencia. Ele se INDIGNA contra tamanho sofrimento sendo dado ao homem que por decádas tinha lutado para NÃO OFENDER A DEUS.
A partir deste momento nasce o caráter do INTERCESSOR. O adorador dá lugar a algo que fará estremecer os céus da antiguidade, que ecoará dentro do coração das trevas por toda a eternidade.
ELE AGE COMO INTERCESSOR
No livro de Jó vislumbramos o NASCIMENTO DE UM INTERCESSOR. Ele toma para si a VERDADE por detrás de seu ofício. Ele não olha para as chagas, para o medo, para sua miséria, para o abandono de seus familiares, para as zombarias de loucos, para a TEOLOGIA fatalista, legalista, natural, para conceitos FAJUTOS sobre SOBERANIA divina e as GRAVES acusações de seus mais íntimos amigos, não ouvindo suas tradições ou suas místicas revelações. Ele se levanta como um réu sem advogado, como um acusado que tem aparentemente contra si TUDO O QUE EXISTE, demônios, amigos, familiares, Deus, seu próprio corpo, e se balançando sobre o abismo, consciente da loucura a que está se atirando, a proposta inpensável, se lança ao desconhecido e

QUESTIONA A DEUS SOBRE QUEM ELE É, SOBRE O QUE ELE PENSA ESTAR FAZENDO, SE SUA JUSTIÇA É VERDADEIRA SE VALE A PENA VIVER. SE VALE A PENA AMAR O BEM E REJEITAR O MAL. SE DEUS TEM A COMPLETA NOÇÃO DO QUE SIGNIFICA O SOFRIMENTO PARA A HUMANIDADE. SE DEUS SABE O QUE É MORRER. SE ELE AMA O HOMEM COMO ELE AMAVA SEUS FILHOS. SE ELE ODEIA O MAL COMO ELE, JÓ, O ODIAVA.

De tal modo, como antes dele nehum homem jamais OUSOU fazer e como depois dele DEUS TEM AGUARDADO ATÉ AGORA QUE OUTROS SE LEVANTEM.
Por cerca de qurenta capítulos do livro de Jó, um homem sem lei, sem bíblia, sem esperança e sem nada a perder, se colocará entre DEUS e sua própria causa.

Jó:7:11:

Por isso não reprimirei a minha boca; falarei na angústia do meu espírito; queixar-me-ei na amargura da minha alma.

Não vou reprimir minhas palavras, não irei conter minha indignação. E vou fazer isso do jeito em que me encontro. Na amargura dos meus pensamentos.

Jó:7:16:
A minha vida abomino, pois não viveria para sempre; retira-te de mim; pois vaidade são os meus dias.

Isso é aquilo que você chama de vida? Tenho nojo de minha vida. Vai embora e vê se me larga

Jó:7:17:
Que é o homem, para que tanto o engrandeças, e ponhas nele o teu coração,

Quem sou eu para ser tão perseguido assim? Sou Querubim? Sou anjo? Te ofereço algum perigo? Lutar contra um rato faz sentido?

Jó:7:18:
E cada manhã o visites, e cada momento o proves?

Quanto tempo eu vou agüentar esse teu massacre? Cada instante, cada manhã, continuamente?

Jó:7:19:
Até quando não apartarás de mim, nem me largarás, até que engula a minha saliva?

Tira as mãos em torno do meu pescoço, pelo menos pra eu engolir minha saliva. Porque você quer me enforcar com as tuas mãos, porque o Deus que me deu a vida quer me matar?

Jó:7:20:
Se pequei, que te farei, ó Guarda dos homens? Por que fizeste de mim um alvo para ti, para que a mim mesmo me seja pesado?

Que te importam meus atos? No que faz diferença para o universo minhas atitudes? Não tens coisa mais importante pra fazer do que ficar me perseguindo?

Jó:7:21:
E por que não perdoas a minha transgressão, e não tiras a minha iniqüidade? Porque agora me deitarei no pó, e de madrugada me buscarás, e não existirei mais.

Não é mais fácil perdoar-me do que me matar? O que te impede de me perdoar? Será que você não enxerga que daqui a pouco serei só uma lembrança? Quando você tentar bater em mim de madrugada eu já vou estar morto.

Jó:9:19:
Quanto às forças, eis que ele é o forte; e, quanto ao juízo, quem me citará com ele?

QUEM TESTEMUNHARÁ A MEU FAVOR? A quem eu recorro? Quem vai me defender contra tuas acusações? Quem vai me defender contra tua mão? Você é Deus, eu sou um moribundo. Isso é uma covardia.

Jó:9:32:
Porque ele não é homem, como eu, a quem eu responda, vindo juntamente a juízo.

Não existe um foro, um juizado, uma instancia ou tribunal que eu possa solicitar justiça para essa contenda louca contra mim. Você não compareceria diante de um, para que eu me defendesse diante de um juiz.
Não há tribunal acima do teu, não há juiz que tenha autoridade para que EU TE processe. VOCÊ DEUS, SIM VOCÊ, SEJA JULGADO PELAS TUAS ATITUDES PARA COMIGO.

Jó:9:34:
Tire ele a sua vara de cima de mim, e não me amedronte o seu terror.

As enfermidades que me consomem e me apodrecem, me deixam desesperado, confuso, com muito medo. Eu tenho medo de continuar sofrendo ou de vir a sofrer ainda mais. Eu já não sinto nada que não seja o terror. E ESSE PODER QUE ME DESTRÓI ESTÁ VINDO DOS CÉUS. EU SINTO A TUA MÃO POR DETRÁS DESSAS COISAS. Eu já não sinto nada que não seja o terror. Cura-me e eu vou poder raciocinar normalmente pra ter argumentos para me defender.

Jó:9:35:
Então falarei, e não o temerei; porque não sou assim em mim mesmo.

Não tenho mais nada a perder. Eu vou declarar TUDO que está em meu coração. Porque não estou em meu estado normal.

Jó:10:3:
Parece-te bem que me oprimas, que rejeites o trabalho das tuas mãos e resplandeças sobre o conselho dos ímpios?

Ta se sentindo bem em me oprimir? Valeu a pena eu ter sido criado? Para que um ventre, para que uma mãe? Eu sou um vaso rejeitado? Uma obra que só serve para a lixeira? É para o lixo que eu fui criado? Os ímpios vêm um homem que se dedicou a fazer o bem e aplaudem minha desgraça. Eu justifico tudo o que um dia eles vierem a fazer, porque quando olharem para mim perceberão que não faz a mínima diferença fazer o bem ou fazer o mal.

Jó:10:4:
Tens tu porventura olhos de carne? Vês tu como vê o homem?

Você sente as coisas que eu sinto? Você consegue entender a dor? O medo? A tristeza, o tormento? Eu perdi meus filhos e minhas filhas. Você sabe o que é ser um pai que perdeu seus filhos? Um homem que perdeu todas as posses pelas quais trabalhou a vida inteira, um homem que não tem mais prazer em viver? Olha pra vida do jeito que eu consigo ver e você vai entender o que estou passando.

Jó:10:5:
São os teus dias como os dias do homem? Ou são os teus anos como os anos de um homem,

Você que vai viver para sempre, sabe o que é morrer? Sabe o que é envelhecer? O que é acabar? O que é ver a vida se apagar rapidamente?

Jó:10:6:
Para te informares da minha iniqüidade, e averiguares o meu pecado?

Foi para isso que você averiguou meus pecados? Por isso você investigou as minhas faltas?

Jó:10:8:
As tuas mãos me fizeram e me formaram completamente; contudo me consomes.

Você teve o trabalho de me criar absolutamente do nada, tecer minha estrutura, minhas veias, me concebendo para a vida e me sustentando para num instante, destruir tudo o que sou?

Jó:10:9:
Peço-te que te lembres de que como barro me formaste e me farás voltar ao pó.
Jó:10:11:
De pele e carne me vestiste, e de ossos e nervos me teceste.
Jó:10:12:
Vida e misericórdia me concedeste; e o teu cuidado guardou o meu espírito.
Jó:10:13:
Porém estas coisas as ocultaste no teu coração; bem sei eu que isto esteve contigo.

Você se lembra da época em que me amava? Em que teu cuidado me guardava cheio de ternas misericórdias? O que você fez do amor que me mantinha? Onde você escondeu sua graça, tua bondade, tua paixão pela minha vida?

Jó:10:16:
Porque se vai crescendo; tu me caças como a um leão feroz; tornas a fazer maravilhas para comigo.
Jó:10:17:
Tu renovas contra mim as tuas testemunhas, e multiplicas contra mim a tua ira; revezes e combate estão comigo.
Jó:10:18:
Por que, pois, me tiraste da madre? Ah! se então tivera expirado, e olho nenhum me visse!
Jó:10:20:
Porventura não são poucos os meus dias? Cessa, pois, e deixa-me, para que por um pouco eu tome alento.

Jó:13:3:
Mas eu falarei ao Todo-Poderoso, e quero defender-me perante Deus.

Esse moribundo ainda ousa ficar de pé. Eu, um semimorto, pela última vez me levantarei diante do Todo-poderoso. Esse pedaço de trapo, irá defender sua integridade. Eu não mereço o que estou passando. Eu vou morrer proclamando minha inocência.

Jó:13:15:
Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo os meus caminhos defenderei diante dele.

Não vou cair, ainda que morra, você vai ter que me escutar. Olha pra mim. OLHA PARA MIM, Ó DEUS. Sou inocente.

Jó:13:18:
Eis que já tenho ordenado a minha causa, e sei que serei achado justo.

Se não existe tribunal entre nós dois, se não existe um advogado que me defenda, se não há instancia que eu possa recorrer, nem testemunhas ou amigos que me ajudem, se não restou mais ninguém, então sou eu contra você. Olha pra mim. Eu sou justo. Você me massacrou sem causa. Responda as minhas acusações. Essa é a minha causa. Essa é a minha vida.

Jó:13:25:
Porventura acossarás uma folha arrebatada pelo vento? E perseguirás o restolho seco?
Jó:13:26:
Por que escreves contra mim coisas amargas e me fazes herdar as culpas da minha mocidade?
Jó:13:28:
E ele me consome como a podridão, e como a roupa, à qual rói a traça.

…Observe a dureza, as farpas, os questionamentos. Jó é uma muralha. Age como um louco? Como um demente? Fala como se nada mais tivesse sentido, se sentindo traído, morrendo, sofrendo. Ele luta desesperadamente e impõe a Deus perguntas, afirmações e declarações que jamais nenhum outro ser humano ousou diante de Deus. Ele aponta o dedo e trata a Deus como num tribunal, luta por sua vida, por sua dignidade, pelas verdades que abraçou e nas quais viveu.

E DEPOIS DO MAIS DURO DISCURSO QUE UM SER HUMANO JÁ IMPÔS DIANTE DE DEUS,

OBSERVE O QUE É DECLARADO POR ELE:

Jó:42:8:

Tomai, pois, sete bezerros e sete carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecei holocaustos por vós, e o meu servo Jó orará por vós; porque deveras a ele aceitarei, para que eu não vos trate conforme a vossa loucura; porque vós não falastes de mim o que era reto como o meu servo Jó.

O INTERCESSOR NÃO SE LIMITA EM NADA QUE NÃO SEJA SEU SENSO DE JUSTIÇA INTERIOR. Mesmo se não tiver um ÙNICO trecho das Escrituras que lhe dê respaldo.
O Intercessor não teme falar ou expressar-se diante de Deus. Ele não aceita um não como resposta, se essa resposta define aquilo que poderá acontecer.
Ele não abandona sua intenção, porque sua intenção e determinação PROCEDEM DO PRÓPRIO DEUS. O Espírito de Deus inflamará o espírito de um intercessor. Ele deseja ver esse espírito queimando, lutando, clamando, sem se importar com nada mais que não seja o objeto de sua reclamação, de sua indignação.

E SE ELE NÃO FIZER ISSO, NÃO RECEBERÁ O ELOGIO QUE JÓ RECEBEU.

Nós não estamos na situação e posição espiritual de JÓ. Nós temos PROMESSAS, nós recebemos uma ALIANÇA, nós fomos JUSTIFICADOS, nós somos considerados ÍNTEGROS diante de Deus, nós recebemos UM REINO, nós fomos feitos SACERDÓCIO eterno, nós somos FEITOS FILHOS E FILHAS.
Então que JÓ nos inspire a sermos OUSADOS INTERCESSORES

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: