Arranjo

Arranjo no uso dos dons

A organização, prudência, confirmação e coerência no uso dos dons espirituais na Igreja de Cristo

Welington Corporation

Arranjo é uma apostila prática cuja finalidade é desenvolver uma organização básica no modo como a igreja deve nestes tempos contemporâneos se organizar para que seu ministério desenvolva uma perspectiva correta e abrangente no uso dos dons espirituais, desenvolvendo um ministério com base no respeito e amor ao próximo, diante de revelações, profecias, interpretações, curas milagrosas e todo o sobrenatural de Deus.

           

A base para exercer os dons é o amor ditado em I CO 13. O sobrenatural vem a reboque da essência amorosa da igreja. Profetas que não amam, não são dignos de sua vocação. Os dons são dados para ajudar, apoiar, salvar, orientar, conduzir, consolar, edificar, abençoar.

A igreja não recebe os dons para brincar de deusa. Profetas não recebem a profecia para serem chamados de espirituais, quem fala em línguas não é superior ao que não possui o dom, inclusive aquilo que as línguas ministram á igreja serão ministrados aos crentes por intermédios de outras operações àqueles que não possuem o dom. A finalidade dos dons é a SALVAÇÃO de vidas, assim como todas as demais atividades da casa de Deus.

Os dons não tornam um humano em inumano, ou conferem caráter especial ou espetacular de santidade aos seus possuidores. Do mesmo modo que um diploma de nível superior não torna você melhor do que um padeiro, uma costureira ou um técnico. Dons Não são diplomas. Assemelham-se antes aos ofícios ou as artes, como talentos naturais para a pintura, para o desenho, para tocar violão ou teclado. Excelentes bateristas põem ser péssimos pianistas. Um bom jogador de futebol se tentasse realizar uma operação de um cérebro no lugar de um neurocirurgião seria a morte do paciente. Um oculista não pode arrancar um dente sem deixar quem está na cadeira de dentista meio apavorado. Assim como dificilmente você aceitaria uma receita de óculos de um dentista. Os talentos e dons humanos são desenvolvidos a partir de uma vocação natural e através do esforço e da dedicação.  Os talentos e dons sobrenaturais não existem no homem, não nascem conosco, não fazem parte de nosso caráter ou personalidade, não são naturais. São concedidos ao crente através do poder do Espírito Santo e só podem ser exercidos mediante a comunhão íntima com Deus. Os dons espirituais trazem no seu bojo a dependência ao Espírito de Deus, são gerados no nosso interior a partir do Espírito de Deus e jamais perdem este elo. Os dons não pertencem a nós como os poderes que os heróis possuem.

Não temos poder sobre os dons, controle para dizer o momento em que serão manifestados, sendo sua manifestação condicionada a COMUNHÃO COM DEUS, a FÉ DAQUELES QUE OS EXERCEM.

Os dons pertencem ao Corpo, assim como aos membros. Deus concede os dons para edificação PESSOAL assim como para edificação COMUNITÁRIA. 

Os dons não são para usufruto pessoal. Não são dádivas divinas para realização da vontade humana. Tudo que diz respeito aos dons espirituais diz respeito a Cristo. As manifestações do Espírito Santo terão o mesmo caráter das Escrituras: Equidade, justiça, sinceridade, VERDADE. Não são manifestações parapsicológicas, não são manifestações da psique humana, são capacitações ligadas ao Espírito e a sua vontade para a Igreja, para realização de seus planos, desejos e sabedoria. Os dons manifestos revelam mais de Cristo, aproximam a igreja para perto do Pai, desenvolvem intimidade no trato das Escrituras, aproximando a igreja da comunidade dos profetas do Velho Testamento assim como da comunidade dos anjos, manifestando virtudes e poderes que pertencem ao mundo que está para chegar, nos transformando para nos acostumarmos aos lugares celestiais onde iremos habitar.

Embora os dons não visem nossos próprios propósitos, eles visam os propósitos de Deus em nós. Embora não sejam para usufruto próprio eles operam INDIVIDUALMENTE assim como EM CONJUNTO com os dons dados aos outros membros do CORPO. Eles irão operar tanto SOZINHOS, como em grupo na comunidade da igreja, tanto no dia a dia do crente em Cristo que pede orientação divina contínua a Deus como dentro e para as atividades da IGREJA.

Tudo o que diz a ministração de revelações, profecias, visões e sonhos que dizem respeito ao nosso próximo são em primeira e última análise as coisas mais importantes a serem tratadas, com maior seriedade, com o respeito e postura espiritual correta. Nem toda visão PODE ser entregue, nem toda profecia DEVE ser divulgada, nem toda revelação necessita ser contada. Alguns sonhos não dizem respeito a outra pessoa, não são para serem manifestados. São objeto de oração daquele que o recebeu ou de um grupo de intercessores próximos que exporá suas preocupações sobre aquilo que foram avisados ou advertidos mediante os sonhos.

Toda revelação que não for de caráter pessoal, Deus tratando pessoalmente com o crente, sem que haja envolvimento de outros em tais revelações interiores, deve ser entregue via carta ou transmitida oralmente ou gravada, para que um grupo de intercessores possa orar a respeito.

Nem toda revelação é clara o suficiente para que seja IMEDIATAMENTE entendida mesmo por pessoas que já tenham experiências com visões e revelações. Alguns sonhos são revestidos de tipos, símbolos, representações, atos proféticos, os quais podem ser esclarecidos posteriormente por outros sonhos ou novas visões que poderão trazer luz sobre o assunto tratado.

Arquétipos

Arquétipo é o conceito interno que temos sobre uma pessoa, sobre uma situação ou sobre uma realidade. O modo como esperamos que algo aconteça, que alguém se porte ou como nós deveríamos nos portar para que algo aconteça. È o modo como visualizamos uma realidade.

O crente que profetiza hoje em dia é cheio de arquétipos. Ele muda a tonalidade da voz, ele gesticula como imagina que um profeta faria, ele imita profetizas ou profetas que já viu no decorrer de sua vida. Ele se porta de um determinado modo, porque em tal lugar viu uma manifestação genuína do Espírito Santo, comprovado pelo CUMPRIMENTO daquilo que foi profetizado, pela REVELAÇÃO daquilo que estava encoberto ou pela cura MILAGROSA que ocorreu depois da Interpretação de línguas e então entende que deve AGIR como tal pessoa AGIA para obter a MESMA benção. Existem modismos e situações que são imitações humanas (emulações) destituídas de qualquer conteúdo ou significado espiritual. São os nossos arquétipos, ou nossa CULTURA pentecostal, nossa cultura profética, que nos leva a AGIR de tal e tal modo porque ENTENDEMOS que SÓ assim o que está BROTANDO de nossas bocas é genuinamente uma profecia, ou interpretação ou revelação divina. Exemplos:

– Gente que se afasta CONTINUAMENTE dos outros crentes se isolando para não SE CONTAMINAR com conversas SUPÉRFLUAS porque entende que pode ‘impedir’ a plena manifestação dos dons.

– Uso de determinadas vestimentas, paletó e gravata, saia abaixo dp tornozelo, não uso de camisas coloridas ou jeans ou não ver filmes, não freqüentar cinemas, não ir a shoppings, não usar maquiagem, não usar qualquer tipo de adorno tal como brincos, colares ou pulseiras;

– Uma linguagem recheadas de jargões bíblicos, de chamadas a santidade absoluta, e uma postura gestual ou corporal ou mesmo visual que incorpore uma postura de DISTANCIAMENTO dos outros irmãos. Seja porque está sempre EXORTANDO, seja porque age com EXCESSIVA SERIEDADE.

– Tremor das mãos, braços ou voz, voz embargada, gritos e batidas de pés e palmas como se para invocar o espírito Santo ou respaldar sua fé – significa o uso da EMOÇÃO como MEIO para adquirir FÉ para a manifestação da INTERPRETAÇÂO, REVELAÇÂO, VISÂO ou PROFECIA. Ou para atingir a manifestação de PODER através de esforço físico.

Quando o Espírito de Deus tem liberdade EVENTUALMENTE tais coisas poderão ocorrer (tremores, grandiosa emoção, brados de alegria, voz embargada). Mas tais coisas são CONSEQUENCIAS da unção JAMAIS sua causa.

A liberdade de uma pessoa no Senhor não pode CONSTRANGER publicamente a liberdade de outra em Deus. O escândalo significa que você AVILTA um filho de Deus porque acredita que não tem que dar satisfações do que sente ou de suas atitudes aos outros, seja na vida, seja dentro de um culto.

Do mesmo modo que uma camiseta com frases em japonês e desenhos da PUCCA não são possuem mais efeito para a santidade do que uma roupa negra e cinza e vestes de viuvez.

Toda revelação relevante deve ser tratada por um grupo de intercessão tendo a frente os líderes da igreja, diáconos, e tendo  presente ou principal informado, o pastor da igreja. Ele deve ser informado sobre todas as revelações, profecias e orientações que envolvam a vida dos membros, para que em grupo decidam como agir para cada situação revelada.

Reuniões de libertação geram visões complicadas, por causa do teor de malignidade que alguns podem estar expostos, tais como revelações sobre condutas imorais ou ilícitas que geraram ou cooperaram para o ataque de espíritos malignos. Visões sobre gente opressa nunca são bonitas. É o cine-terror da igreja, onde Deus mostra a atuação maligna, o poder das trevas. A visão de babilônia, prostituta com um cálice cheio de imundícias (Apocalipse) dá uma idéia vaga do que são as visões oriundas dos grupos de intercessão voltados para a área de libertação. Significa que certas visões dadas em reuniões de libertação ficam restritas às pessoas dos grupos de libertação, na maioria dos casos.

Uma das grandes funções das visões e revelações no Corpo de Cristo é o seu caráter DIDÁTICO. Mais vale o discernimento maduro de uma visão VERDADEIRA que duas horas de pregação teológica baseado em STRONG (manual teológico). Existem belíssimas visões que o Espírito Santo concede a uma comunidade que DEVEM ser TRANSMITIDAS para toda a igreja, pelo seu caráter de ensino, pela parábola apresentada que INCLUSIVE podem vir a gerar NOVOS PATAMARES DE CONHECIMENTO DA Igreja.  Assim foi com Pedro que por intermédio de uma visão COMPREENDEU finalmente o caráter UNIVERSAL da pregação do Evangelho, assim foi que Paulo compreendeu os grandes mistérios das Escrituras.

 

CULTO

Dado o caráter de uma congregação grande (essa apostila tem como base uma reunião de 1000 membros em cultos gerais), algumas atitudes devem ser cuidados tanto no posicionamento dos membros como na direção dos líderes e a ordem e liturgia do culto para que haja um ambiente adequado que encoraje os crentes a entrega do que receberem durante os cultos

– A questão da liturgia (que é um nome que já aparenta uma coisa cristalizada) ou condução do culto deve ser feito de modo que toda a congregação se sinta a vontade para a manifestação dos dons e que possua a continuidade de cânticos e orações adequados a manifestação dos dons. Isso significa que:

– avisos, devem ser dados somente no final do culto, para não roubar o tempo necessário para que a comunhão mais profunda com Deus se manifeste;

-sensibilidade do corpo diaconal, dos líderes, pregadores e pastores as expressões de louvor, ao irromper de línguas em diversos lugares da congregação, concedendo tempo para que a igreja sinta e perceba a presença e a glória do Espírito Santo manifestas após cada cântico, mesmo a partir de orações feitas pelos membros

– incentivar os membros a adorarem publicamente através de expressões e orações de adoração e louvor, orações de fé, para que a fé liberada pelas orações contagie a congregação e a conduza assim as demonstrações do Espírito. Todo culto deve possuir espaço para que dois ou três pessoas adorem em voz alta, orem e conduzam o corpo em oração, quando movidos pelo Espírito a tal, para que isso vire espontaneidade é necessário a prática constante para que as gerações de crentes que nascerem na igreja já acostumem-se a manifestarem com liberdade suas orações, ao mesmo tempo em que se exercita a vontade de que outros também o façam.

– Praticar a adoração de tal modo que a igreja ouça sua própria adoração, aumentar os períodos de cântico a capela, e também de interlúdios, que são momentos de oração silenciosa e/ou em grupo com o auxílio de musicas inspiradoras, que num grau mais sofisticado podem também ser espontâneas (se o grupo de músicos tiver um alto grau de entrosamento, de conhecimento harmônico e sensibilidade musical) 

– Conduzir o culto de modo santo, sem piadas (torpes, jocosidade, ironia, zombaria) ou fora de hora, (existem momentos de alegria e mesmo para ensinar, para dar avisos, para brincar de modo GENTIL com alguém), sem posturas de grosseria, sem repreensões inadequadas, em que o coração dos líderes e da igreja deseja uma única coisa – a manifestação dos dons através dos adolescentes, dos jovens, das senhoras, dos obreiros. A igreja necessita uma postura pastoral coerente, uma pregação doce, sem gritaria, sem desespero, sem emocionalismo exacerbado, onde o pregador não coloca em si mesmo um peso que é incapaz de carregar. Uma pregação na carne, mesmo o falar excessivo, a falta de profundidade do ensino, as repetições frutos dos arquétipos tradicionais ou pentecostais (oratória, retórica, brados de entusiasmo – Ah eu sinto o Senhor aqui esta noite! quando não está sentindo nada) as práticas de manipulação psicológica ou qualquer desvio que seja meramente uma coisa humana.

 – Líderes de louvor devem ser maduros para sentir o que alegra a comunidade, para dar continuidade aquilo que abençoa, para deixar após um cântico que abençoou o coração da igreja que a mesma expresse livremente seu amor ao senhor. Muitos milagres estão sendo impedidos pela falta de tato de líderes de louvor. Não percebem o mover do Espírito, não percebem quando um louvor transformou o ambiente de culto e que ESPONTANEAMENTE expressões de adoração pipocam de todos os lados. Isso é sinal de que Deus está operando curas, está tocando vidas, está concedendo visões.

– O culto em si deve ser conduzido com um claro objetivo, comunhão e intimidade. Muitos pregadores não percebem isso. Muitos não entendem que os cultos deveriam terminar muito antes do instante em que acabam. Que certas horas é melhor não pregar. Que em outras é melhor não cantar. Que em outras, só é necessário ouvir, só é necessário a ministração da Palavra. Deve haver concordância dos líderes e responsabilidade dos pregadores, que seu tempo para pregar não é SEU tempo para pregar. Que muitas vezes em meio a pregação, Deus pode conceder mesmo CANTICOS ESPIRITUAIS! Não é necessário PRESSA, dentro de determinados limites. Muitas vezes o louvor é SACRIFICADO pelo afã do pregador. Outras vezes porque o dirigente de louvor QUER que a igreja FAÇA algo ou continue a fazer algo, sem que haja a inspiração divina para tal. Muitas vezes períodos de louvor deveriam iniciar-se após JUSTAMENTE a pregação. Algumas vezes a Igreja necessita de um período de oração para que situações mal resolvidas de opressão sejam anuladas para que vidas sejam abençoadas.

O ser humano, para a manifestação dos dons, é parecido com as ovelhas quando descem a um rio para beber água. O pastor tem que colocar um cercado na água para que elas possam beber do rio porque não BEBEM EM ÁGUAS TURBULENTAS. Elas vão olhar para a água dentro do cercado até que a superfície não esteja ondulando e só aí é que descem para beber. Tem que haver para a manifestação dos dons um ambiente NÃO TURBULENTO, uma situação de intimidade, onde até o som da igreja é projetado e utilizado de modo a não perturbar a concentração, a comunhão e a meditação dos crentes em Cristo.

– O cercado é uma ilustração para um culto pelo qual ouve intercessão para que o mundo, e os poderes do mundo (pecado, opressão maligna, injustiça, mentira) não impeçam a plena comunhão dos crentes com Deus, o que os impede de manifestar os dons.  

– Os avisos –  Essencial que sejam dados antes ou depois do culto – Como o coração humano necessita tranqüilidade, tempo adequado para a adoração, deve haver uma continuidade entre a ministração do louvor e a entrega da palavra, ou pregação. A adoração deve sempre estar próxima a pregação, sem intermediação.

– As brincadeiras e posturas dos líderes devem ser doces, sábias, carinhosas. O líder e os pregadores se portam com elegância, eles se portam com nobreza, porque a reverencia do culto e sua santidade devem ser tais que não haja desconforto, alguma agressão ou verbalização indevida, para que a alegria seja plena, para que a comunhão não seja quebrada. Isso me lembra um pastor lá na ABI num dos cultos de quarta-feira a uns 20 anos atrás:

– Ah! Meus irmãos… Deus presente abençoando a nossa vida, a graça de podermos estar aqui neste lugar onde o Espírito pode…A caixa de som está zumbindo…alguém desligue por favor a caixa de som…Meus irmãos! A graça do Senhor…as misericórdias de Deus são a causa de não sermos…JÁ FALEI PRA DESLIGAR A CAIXA DE SOM! … mas, Deus! Sim! Sem Ele nós não somos nada e…DESCE ALGUÉM AQUI AGORA E DESLIGA LOGO ISSO. JÁ DESCEU ALGUÉM? ESTOU FALANDO GREGO?…

Não. Não vou dizer o nome do pastor que protagonizou essa cena deprimente…

Eu me lembro do que senti. Fiquei escandalizado, era uma postura absolutamente inadequada. Vinte e poucos anos se passaram e eu não me lembro dos louvores entoados, da pregação ou das orações. Mas lembro bem daquilo. Aquele culto foi quase anulado pela falta de paciência do ministro naquele dia.

“a mosca morta estraga o ungüento do melhor perfumista”

A grosseria invalida um ambiente de PLENA santidade. O pregador assim como os líderes são sobretudo gentlemans, gentis. Agradáveis.

A criança começa a correr no culto, o impaciente do pregador:

– Alguém chama agora a mãe dessa criança que está atrapalhando o culto… Foi-se a comunhão. A criança correndo não escandaliza. Jesus não se escandalizava com algazarra de crianças! Deixai vir a mim os pequeninos porque deles é o reino…mas a exortação pública irá EXPOR a mãe da criança, é como se ela recebesse um cartaz na testa:

Criando ondas de turbulência….

Um dos requisitos básicos do pregador é não se incomodar com pouca coisa. Ele deve começar a treinar em praças de máquinas de navios, em trens lotados, em meio a turba enlouquecida. Pelo menos alguns dias pregando para crianças.

– O culto é misto, composto de crianças, adolescentes, jovens, adultos e anciãos. Determinados assuntos não são para serem expostos para as crianças ou para adolescentes. Ou existem modos agressivos ou suaves de se tratar situações. A pregação deve primar pela suavidade. Exemplos drásticos, aplicações eróticas, conteúdo macabro, conteúdo nojento, exemplos que recontam podridão ou com imagens de tortura, decapitação, lapidação, essas coisas estão nos jornais e noticiários. O culto não é o lugar para relembrar a desgraceira humana, a torpeza humana. É lugar para falar de coisas agradáveis, boas novas da salvação, das demonstrações do Espírito, dos sinais, das maravilhas, das obras de Deus. Todo exemplo pode ser suavizado. Todo situação pode ser ilustrada, comparada, de modo a ajustar a gravidade de uma situação para não desviar o foco que é a comunhão. As Escrituras são POESIA do primeiro ao último verso, e embora retrate com frieza determinadas situações, ela é repleta de exemplos que falam a alma com beleza, com descrição, com suavidade.

– A oração pública deve ser CONSTANTE em todos os cultos. Pessoas da congregação, duas ou três devem erguer sua voz em adoração ou súplica, oração de fé, em cada uma das reuniões. Não deve haver culto sem que pessoas da congregação orem em voz alta. Muitas vezes isso acarretará grande edificação da igreja, mesmo a manifestação dos dons. É comum durante a oração sincera de um crente que o Espírito ministre visões! Esse espaço é vital para a comunhão e crescimento da Igreja, os líderes devem direcionar a  igreja a um patamar de ESPONTANEIDADE.

– Como o coração humano leva certo tempo para manifestar a fé suficiente para a manifestação dos dons de palavra (interpretação de línguas e profecia), geralmente a manifestação de línguas por alguns instantes será comum, antes do início da interpretação. As interpretações podem ocorrer de membros diferentes, o que deve ser preferencial. Uma pessoa fala e outra interpreta. A uma é dada as línguas, a outra a interpretação. Temos visto como padrão a entrega de uma mensagem em línguas e a interpretação pela mesma pessoa. Os dons são derramados uniformemente por toda a congregação. Quem fala em línguas deve deixar que uma segunda ou terceira comece a falar, e confiar que o Espírito entregará a outra a interpretação do que diz. A falta do dom de interpretação na igreja é que tem limitado atualmente a operação deste gênero na igreja.  Em determinados locais, inclusive frases em línguas são faladas por vários membros da congregação e uma única interpretação é entregue sem interrompimento da mensagem profética. Deus poderá usar duas pessoas ou mais para falar em línguas e várias poderão dar continuidade a interpretação, cada uma completando uma frase do discurso, se houver fé pra tanto… O MESMO Espírito Santo é o que dá a mensagem e pode ser que várias pessoas sintam no mesmo instante um chamado para interpretar.

 – Um dos modos de tal ocorrer é a igreja ir treinando sua sensibilidade. Quando o dom de línguas está para irromper o coração da pessoa que o Espírito irá usar fica inquieto demais, incomodado, muitas vezes arde no íntimo a vontade de pronunciar as palavras em línguas. O Espírito quer usar a todos, então ele comove o coração da adolescente lá atrás nos bancos, depois o do ancião á esquerda, após ao jovem a direita, o líder sente o poder o envolvendo e irrompe em línguas, depois o Espírito toca uma criança, e assim por diante.

– As visões devem ser escritas e direcionadas ao grupo de intercessão que deverá estar orando pelo culto. Sempre devem ter três ou mais pessoas separadas com a finalidade de orar para que Deus preserve a pureza das manifestações no decorrer do culto. Elas devem ficar a vista ou nos primeiro banco, ou na plataforma, e são elas que receberão as visões escritas com uma letra legível, e separar as que entenderem que devem ser expostas a público. Isso é um dos métodos. O outro é que a pessoa que teve as visões vá e conte para o grupo separado que ficará atento as visões para que elas sejam divulgadas (ou não) à congregação. Ou mesmo encaminhar para que a pessoa que as teve fale diretamente á congregação. Para não interromper a continuidade do culto, elas podem ser contadas durante o louvor, antes da entrega da Palavra, após a pregação, etc. porém, visões dadas em cultos devem ser ministradas preferencialmente no culto. Algumas, contudo devem ser repetidas por anos…de tão profundas e tão espetaculares que são.

Pelo fato da profecia ser para a edificação da Igreja, não deve haver no culto público uma profecia que não seja dada da plataforma, mesmo que de caráter pessoal. As Escrituras dizem que o espírito  dos profetas está submisso aos profetas. Significa que mesmo que haja o forte desejo de profetizar, ele pode ser SUPRIMIDO pela mente ou que o profeta pode AGUARDAR o momento melhor para sua entrega. A pessoa que entende que Deus quer usar em interpretação de línguas para uma pessoa em particular deve fazê-lo DEFRONTE a congregação, de preferência com microfone em mãos (veja a responsabilidade) para que toda a igreja ouça o que foi dito e possa avaliar a veracidade, posa JULGAR a profecia. O primeiro juízo é o da paz interior. A palavra profética VERDADEIRA gera alegria. Gera consolação. Gera real edificação. Não transtorna o ambiente. Não é moldada por autoridade falsa, sobretudo JAMAIS CONTRADIZ A PALAVRA ESCRITA.

1)         Deus jamais obrigará a alguém a fazer algo de sua vontade e se não fizer irá matar os filhos, a nora, mãe, cachorro e arrancar as pernas. É de origem maligna. 

2)         Deus jamais exporá publicamente por intermédio da profecia uma situação constrangedora de alguém.

3)         Uma palavra profética tem nome e endereço, tem cpf. Ela não é genérica, é especializada.

A palavra oriunda da interpretação de línguas pode conter três coisas:

a)         Palavra de conhecimento – quando tal ocorrer, Deus mostrará algo oculto, mesmo um pensamento, para que a revelação da intenção escondida mostre o seu Cuidado, sua Proteção, seu Amparo.  Ela deve ser COMPROVADA, os fatos narrados DEVEM ser observados, confirmados.

b)         Palavra de sabedoria – Uma orientação prática em que Deus ensina um modo espetacular de agir em determinada situação, ação ou esclarece sobre fatos profundos sobre a fé e sobre sua Palavra.

c)         Profecia – Deus fala de coisas que haverão de acontecer, de seus planos, propósitos e metas.

O profeta deve antes de entregar uma Profecia entender o caráter do que está para fazer. Então, antes de dar início a uma série de erros, manifestações humanas, situações emocionais, deve deixar que Deus fale consigo, provar em sua própria vida que as coisas que o Espírito está dizendo são reais. Ele deve PROVAR A SI MESMO, antes de expor uma palavra que afetará a vida de outrem.

Pessoais

Nenhuma revelação entregue por membro da igreja para outro membro pode ser dada sem que o pastor da igreja fique ciente. Sem que seja comunicado pelo menos a um dos líderes de algum grupo de intercessão. Nenhuma pessoa da igreja pode ou deve receber nenhuma profecia, visão e revelação para sua vida sem que esta seja devidamente COMUNICADA ao ministério, a um grupo de intercessão, a um líder. Não significa não DIZER diretamente à pessoa, mas uma vez que ALGUÉM falou com outra pessoa sobre uma revelação que entendeu RECEBER da parte de DEUS, deve EXPOR TAMBÉM aos diáconos, líderes para que possam avaliar ou cooperar orando para que a visão se cumpra.

Nos cultos nos lares, nas reuniões dos grupos, Deus concederá revelações, visões angelicais, e outras manifestações tais como cânticos. Tudo que ocorrer em QUALQUER reunião deve ser compartilhada com os líderes.

A grande função dos dons é trazer PODER, AUTORIDADE e  ALEGRIA PARA A IGREJA.

O reino de Deus produz gozo no Espírito Santo

Uma obra espiritual ajustada é feliz em todos os seus ministérios. As reuniões geram grande comunhão, a paz é padrão entre os crentes.

Deus pode revelar sobre filhos que haverão de nascer, mas os líderes devem ser comunicados para consultarem a Deus sobre se deve ou não ser encaminhada tal revelação.

Não há palavra profética de profeta apaixonado pelo objeto de seu amor. A profecia não define CASAMENTOS. O coração é que escolhe. Sempre. Deus pode REVELAR para alguns futuros casais. A obrigação destes é ORAR e ficar QUIETOS.  Deus pode mostrar para alguém seu futuro conjugue. Por visões, sonhos, revelações. MAS tal revelação é segredo. Diz respeito aos tais mistérios do coração.

Quando Deus mostra em sonho uma pessoa, não a DETERMINA para ninguém, está ACONSELHANDO. Como um pai que conhece o coração de um filho ou de uma filha, e veja que Deus conhece bem o coração de seus filhos. Só que é de responsabilidade HUMANA a escolha. “E deixará o homem ao seu pai e sua mãe e unir-se-á a sua mulher”.

O namoro, noivado e casamento são atos de fé, são compromissos que duas pessoas assumem uma com a outra, movidas pela paixão e pelo amor. Amor mútuo, onde existiu um “aceite” a um convite. Deus não pré-estabelece casais na eternidade. Deixa que nós escolhamos nossos pares, sempre. Vai trabalhar isso através de nossos sonhos, de nossas necessidades. Porém possui liberdade, como Deus e como Pai, que conhece de antemão nossos corações e o coração dos outros para ENCAMINHAR nossos corações para melhores PRETENDENTES. Deus pode construir propósitos através de nossas escolhas, e em alguns casos PREPARAR de antemão uma pessoa segundo os anseios de nosso coração. Pode operar para que situações sejam criadas para que duas pessoas se aproximem. Mas, o papel do Espírito Santo é conduzir o noivo a noiva ou a noiva ao noivo. TODO o resto dependerá deles. Adão poderia ter rejeitado EVA. Mas, se APAIXONA PERDIDAMENTE quando a vê. Essa visão esclarece PARTE da história do amor entre homens e mulheres, que é um pouco mais complicado que isso. Deus pode revelar o futuro sobre o casamento de alguém, até mostrar os futuros filhos para um profeta. Mas, isso é CONDICIONAL, dependerá de escolhas humanas, de pessoas orando, do desejo sincero dos envolvidos em terem um relacionamento poderoso com Deus.

Observação: O casamento de Oséias no V.T. (Deus ordena que ele se case com uma prostituta, e ele o faz) Esse é um Excepcional caso, segundo um propósito profético.  O padrão é o estabelecido em Gênesis: Amor que conduz a uma decisão, formação de uma família.

Um enamorado até pode escrever uma carta “foi Deus que fêz você, Deus te guardou para mim, Você é escolha de Deus pra mim” mas na verdade, toda a escolha virá do coração do homem e da mulher. O Espírito Santo não transpassará a decisão humana, em nenhuma hipótese. E se Oséias não AMASSE PRIMEIRO aquela mulher, não poderia realizar a tarefa da qual foi incumbido. Mesmo porque a vida do profeta não iria ser nada fácil. 

O adolescente e ou jovem deve entender que a paixão age nele com uma força tão avassaladora que pode até CONFUNDI-LO com relação aquilo que pensa ou não uma visão ou revelação do Senhor. Que Deus ORIENTAR de modo sobrenatural um jovem para seu futuro casamento, faz parte dos cuidados divinos para conosco, mas o caráter do amor mútuo é o que DEFINIRÁ o início ou o futuro de uma relação.

Certo jovem teve uma visão de um anel de noivado na mão de uma jovem adolescente, sendo ele também adolescente. Namoro falido. Não durou alguns meses. Ele 17 anos e ela possuía 13 anos. Se havia um propósito nisso, se quebrou por uma PRECIPITAÇÃO. Não há amor fruto de profecia. I CO 13!!!! A profecia inclusive um dia deixará de existir. Ela se SUBMETE ao amor. Nenhuma visão institui algo que não depende do poder de Deus, mas da escolha e da vontade humana. A feitiçaria é que cuida de PRENDER ou SUBJUGAR os afetos e emoções humanas, tornando CATIVAS pessoas à amores e sentimentos falsificados, que cedo ou tarde se desfarão em uma vida destruída, em afetos anulados, em lares destruídos.

Oséias:

4: 12 Consultam um pedaço de madeira sobre o que devem fazer. A divina resposta é-lhes dada pela maneira especial como uma vara cai, quando atirada ao chão. O correr atrás de outros deuses corromperam-nos; o espírito de luxúria enganou-os e apartaram-se da sujeição ao seu Deus.

A jovem apaixonada teve um sonho com a outra, no qual essa não se casaria, que o tal noivado era uma farsa e que a tal menina (a outra) não AMAVA ao noivo. A outra foi convocada por um grupo da igreja para questionar se o que ela sentia pelo noivo com o QUAL JÁ HAVIA MARCADO casamento era real ou não. A outra em questão é a minha esposa com a qual tenho 20 anos de casado e com duas lindas filhas. E o tal noivo era eu… que vos escrevo a apostila. E a que teve o sonho? Teve problemas nervosos, mudou de denominação, acertou-se, formou uma família. 

O outro sujeito que chegou diante da jovenzinha e disse que Deus havia revelado a ele que ela era a “escolhida”. Ai, ela (a conheci pessoalmente, uma linda jovem da Igreja Batista Barão de Taquara) olhou para o “profeta” e disse com desdém: Engraçado. Pra mim Deus não falou absolutamente nada… ponto final.

Então, nenhum profeta de Deus por questão de inviabilidade profética plena (lei divina anterior que define a situação de uma vez por todas) opina ou DEFINE essa situação, seja por interpretação de línguas, profecia, revelação, ou visão, no que diz respeito a:

1) Ele mesmo e outra pessoa

2) Outra pessoa e outra pessoa.

Nenhuma profecia define o amor. Deus até dará sonhos, encaminhará e orientará, ponto final, até para PREVENIR do falso amor, do interesse mesquinho por detrás da doce proposta. Então, individualmente o coração deverá PESAR e AVALIAR o que o Espírito estará aconselhando, além dos inúmeros conselhos das Escrituras.

Então:

“Eis que te digo minha serva, que já preparei um homem para tua vida e este é justamente aquele que uso nessa profecia”

Não é de Deus. Nunca foi, nunca poderia ter sido.

Contudo se o jovem sonha com um anjo sorrindo para si toda vez que num culto ele olha para uma determinada menina, ou se ele a visto vestido com um vestido de noiva e a partir daí, toda vez que ele a vê passando nos corredores seu coração descompassa, ora bate, ora apanha, e ele se enche de alegria só de conversar com essa menina… Pode SER QUE DEUS ESTEJA QUERENDO DIZER ALGUMA COISA…

Observe a diferença… a suavidade…a doçura do exemplo… entre uma IMPOSIÇÃO e um PERCEBA, PRESTE BEM ATENÇÃO… presta atenção cabra da peste… acorda mané… toma uma atitude…

Infidelidade

Questões de revelações que envolverem tal coisa não são de caráter público. Uma união está em jogo, o futuro de uma família, que a revelação quer manifestar para CONSERTAR. Tal coisa, é para o pastor e presbíteros CONSULTAREM a Deus sobre o que fazer. Quanto mais grave o conteúdo de uma revelação, maior o critério tanto para aceita-la, como para confirmá-la através de orações, outras manifestações de dons. O grupo de intercessão SEQUER deve saber sobre o que está sendo transmitido. O pastor deve conduzir a reunião e expor que possui um assunto que só tratará se DEUS confirmar através da manifestação de outros dons. Ele PEDE confirmação sobre o assunto, só pra poder EXPOR a situação melindrosa!!!

Grupos

Deus operará espiritualmente de acordo com a maturidade espiritual de cada grupo. Os dons são do Corpo de Cristo, que está espalhado pela face de toda a terra. Pessoas de outras igrejas também possuem dons, também ministram revelações. Mas, por uma questão de cuidado, os grupos da Igreja redobram a atenção quanto a ‘revelações’ ou ‘profecias’ de pessoas desconhecidas, passageiros e visitantes, crentes “cavaleiros solitários” que estão de passagem e profetizam quando chegam. Toda profecia deve ser julgada, analisada, e apresentada a líderes para que eles possam orar a respeito para verificar sua origem.

Toda manifestação espiritual possui uma dessas três origens:

1)         Humana

2)         Celestial

3)         Maligna

A postura da igreja deve ser de simplicidade e submissão, tanto dos que ministram quanto aqueles que recebem a ministração.

Quando alguém tiver qualquer manifestação, deve ir até um grupo que orará e perguntará a Deus se o que ocorreu veio da parte de Deus.  Se veio: Amém! Graças a Deus! Vamos comunicá-la em tempo oportuno, ou guardar para maior entendimento!

E se não perceberem isso?

– Querido (a) não temos paz nessa manifestação, não nos foi confirmado, então não vamos comunicá-la para a Igreja, ok? Sua responsabilidade foi cumprida! Vai na paz! Deus te abençoe.

E a pessoa que diligenciou aquilo que ‘não foi aceito’ ou confirmado?

– Amém! Que Deus seja engrandecido em todas as coisas!

Meio de GRAÇA PARA CONFIRMAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES

Consulta a Palavra, Uso das Escrituras como oráculo.

As Escrituras possuem um padrão de distribuição de textos que também é sobrenatural. Em cada capítulo ela lança luz sobre inumeráveis temas da vida humana: amor, ódio, paixão, traição, alegria, contentamento, desobediência, opressão, injustiça, medo, visitação de anjos, glória divina, vaidade humana, paz abundante, agonia, esquecimento de Deus, vida e morte desfilam diante de nossos olhos na distancia de um texto para o outro. A própria Escritura se descreve como ÓRACULOS DE DEUS.

A estrutura das Escrituras é sobrenaturalmente composta.

Seja nos números que lhe alicerçam a forma original: 

O Dr. Ivan Pain, Cientista Russo, Ateu e muito sábio começou a estudar a bíblia, veja o que ele encontrou. Em João 17 na oração sacerdotal, temos na língua grega 490 palavras (70X7), 2.079 letra (297X7), 1162 vogais (166X7), 917 consoantes (131X7), 98 verbos (14X7), 70 conjunções (10X7), 49 preposições (7X7), 126 pronomes (18X7), 70 advérbios e artigos (10X7), 49 pronomes que se referem a Cristo (7X7), 91 palavras que se referem a Trindade (13X7), 7 ao Pai e 7 ao mundo. Tal pesquisa levaran o Dr. Panim a abandonar o Ateísmo e se converter a Cristo.

Na estruturas literárias:

Quiasmas

A palavra quiasma vem de um verbo grego que significa “marcar com duas linhas atravessadas, como um X” (qui, a vigésima-segunda letra do alfabeto grego).

O gráfico seguinte ilustra esta idéia.

A parte depois da idéia central parece um reflexo da primeira parte, como se Deus colocasse um espelho para construção da sentença.

1 – 27  Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

Criou 

Deus

                        o homem

                                   á sua imagem

                                   á imagem de Deus

                        o homem

            Deus

Criou                                                                         

                        Homem

                        Mulher            

            Deus

Criou

Como se o texto fosse refletido num espelho

Por exemplo, Mateus 7:6 contém um quiasma simples que bem pode ser representado da seguinte maneira:

A Não dêem aos cães o que é santo,

B e não atirem aos porcos vossas pérolas,

B’ para que não as pisem com os pés.

A’ e, voltando-se, nos dilacerem.

Um exemplo de um quiasma formal pode ser encontrado em Gênesis 17:1-25:

(O nome de Abraão é mudado, 4-8)

A A idade de Abraão (1a)

            B O SENHOR aparece a Abraão (1b)

C O primeiro discurso de Deus (1b-2)

D Abraão se prostra, rosto em ter

E Segundo discurso de Deus

X Terceiro discurso de Deus

E’ O quarto discurso de Deus

(O nome de Sara é mudado; 15-16)

D’ Abraão se prostra rosto em terra (17-18)

C’ O quinto discurso de Deus (19-21)

B’ Deus se retira, eleva-se,

Dessa forma, falando tecnicamente, um quiasma se refere a uma estrutura literária de um autor, por meio da qual ele faz declarações balanceadas, em paralelismo invertido, direto construído simetricamente e englobando uma idéia central.

A bíblia tem milhares de quiasmas.

Perfeição em poesia hebraica, nos paralelismos, na disposição dos eventos proféticos, na distribuição segundo um plano estrutural das profecias, etc.

Tanto cuidado na CONSTRUÇÃO da Escritura além de seu CONTEUDO, não era sem propósito:

Tenho visto limite a toda a perfeição, mas o teu mandamento é ilimitado. Salmos 119:96

Ele é a Rocha, cuja obra é perfeita, porque todos os seus caminhos justos são; Deus é a verdade, e não há nele injustiça; justo e reto é. Deuteronômio 32:4

A Escritura é obra de Deus. E por possuir nela esse caráter de perfeição, que abraça até mesmo sua estrutura, os dons podem ser julgados não só pelo seu TEOR, mas até mesmo antes de serem analisados, através de um ato muito simples:

O crente fecha as Escrituras e ora para que Deus através de Sua Palavra REVELE se a manifestação procede de Seu Espírito ou não. Três ou quatro pessoas. Se a manifestação proceder de Deus os textos colhidos ao ACASO, falarão de modo ESPECÍFICO e CONCORDARÃO entre si, confirmando ou negando a dita revelação.

Isso é um ato de fé, não substitui o estudo, a meditação, ou qualquer outra disciplina espiritual. E significa isso mesmo, consultar a Deus DIRETAMENTE através de Sua Palavra, Crendo que Ele falará SOBRE a situação CONSULTADA.

Equivale ao Urim e Tumin do Velho Testamento, quando através de duas pedras jogadas, os Israelitas consultavam se deviam ou não fazer algo.  As experiências são muito eficazes neste sentido com relação aos dons. Muitos já tiveram essa experiência de receber uma resposta direta, usando as Escrituras como um oráculo.

Alguns até com caixas de promessas, mas já se pressupõe que os textos serão sempre de benção. Existe ao menos uma denominação que há anos pratica tal disciplina. E possui centenas de milhares de respostas GENUÍNAS de Deus que seus membros poderiam contar.

Isso equivale a fazer exatamente o que denominam de leitura horoscopal da bíblia – para zombar.

Exatamente o que brincam dos púlpitos com a famosa piada do crente que pede uma orientação a Deus e abre a bíblia e cai o texto: O que tem de fazer, faze-o depressa. E depois de abrira segunda vez: E Judas foi-se enforcar. E abrindo a terceira vez: E suas entranhas se derramaram sobre a terra.

Só que a prática tem desmentido a teoria. A experiência tem demonstrado como válida que a perfeição das Escrituras demonstra haver um plano elaborado para permitir tal prática. Isso vai muito além do Código da bíblia ou de alguma visão distorcida sobre a Kabala hebraica e textos místicos do Toráh. É uma CONSEQUENCIA DA PERFEIÇÃO DAS ESCRITURAS.  É um reflexo que o Espírito Santo concede entre nosso coração e sua LEI.

Nos lábios do rei acham-se oráculos; em juízo a sua boca não prevarica. Provérbios 16:10

Muita, em todo sentido; primeiramente, porque lhe foram confiados os oráculos de Deus. Romanos 3:2

Porque, devendo já ser mestres em razão do tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar os princípios elementares dos oráculos de Deus, e vos haveis feito tais que precisais de leite, e não de alimento sólido. Hebreus 5:12

Se alguém fala, fale como entregando oráculos de Deus; se alguém ministra, ministre segundo a força que Deus concede; para que em tudo Deus seja glorificado por meio de Jesus Cristo, ma quem pertencem a glória e o domínio para todo o sempre. Amém. 1 Pedro 4:11

Todos os textos falam da PALAVRA DO ESPÍRITO, da profecia, das revelações proféticas como oráculos de Deus.

As Escrituras são as Palavras do Espírito Santo, ESCRITAS.   

Considere que as Escrituras são um livro único, transcendente, mágico, celestial, que contém a PALAVRA DO ÚNICO DEUS CRIADOR DE TUDO. Quando o crente ora para que Deus o oriente através da Palavra Escrita, é com base nisso que ele o faz. As Escrituras trazem as palavras que TROUXERAM A EXISTENCIA TUDO QUE EXISTE. Exatamente do jeito que foram ditas.

Então, creio que a perfeição intrínseca das Escrituras foi proposital para que ela também pudesse em determinados instantes, sob determinadas circunstancias TAMBÉM pode ser utilizada assim.

E de que modo?

1) Em espírito de oração

2) Crendo que o Deus irá confirmar ou negar os dons manifestos

3) Obedecendo ao que for dito.

4) Sem que haja uma predisposição humana contra a manifestação.

5) Sem que haja animosidade, inimizade, falsidade no coração, pureza de sentimentos e ideais.

6) Após a confissão dos pecados.

7) De nada adianta buscar uma resposta de Deus se não há interesse em aceitá-la.

8) Recebendo com paz e alegria o texto que for concedido.

Lembrando que a estrutura de versículos e capítulos não é original das Escrituras, é um padrão de estudo e facilitação para encontrar e memorizar textos, criada por um padre.

Os apóstolos não poderiam fazer uso de tal recurso porque carregavam ROLOS separados, o que inviabilizaria o acesso tão amplo a todos os textos da Palavra. Uma certa feita, num momento de dúvida eles LANÇAM SORTES para averiguar a substituição de um apóstolo. Não foram felizes, nunca

Então deve ser lida uma porção das Escrituras, não um único verso.

Consulte as Escrituras dentro do padrão acima após as manifestações e você terá surpresas interessantes.

Outros modos de confirmação da origem de uma manifestação

1) Discernimento de espíritos: A manifestação do dom que observa atento sobre a origem das manifestações a partir de um membro

2) A manifestação do Espírito é pacífica, produz paz, consolo, alegria

3) As Escrituras dizem: Que a paz de Cristo seja ÁRBITRO dentro dos vossos corações. Após a manifestação há angústia? O ambiente perde completamente a alegria? Há desconforto, inquietação, falta de paz?

4) Perfeita correspondência com a DOUTRINA das Escrituras. Nenhuma palavra profética ou revelação ou visão JAMAIS CONFRONTARÁ aquilo que Deus já nos revelou através das Escrituras.

Grupos e reuniões da igreja de membros que possuam os dons

Toda revelação pertinente a um plano, uma ação do grupo, uma nova frente de evangelismo, uma situação que envolva o crescimento ou segurança física, emocional e espiritual de outra pessoa deve ser levada ou narrada ao líder dos grupos. Revelações para entrega individual… A pergunta é porque está sendo dita em oculto? É de caráter pessoal? Então deve ser dada a título de CONSELHO. Existem segredos que envolvem amizade. São situações delicadas, são coisas que dizem respeito a ninguém além de pessoas muito próximas, o circulo mais íntimo. Quem entregou a revelação é desse circulo, é amigo e irmão, na fé e nas tribulações? Tem participado das lutas, das conquistas, rido e chorado junto?

Se for de uma pessoa desconhecida… Trouxe MUITA PAZ? Era justamente uma RESPOSTA pela qual você está orando a tempos?

Pode ser COMPROVADA em curto prazo? Ou é algo estranho? Vá até os pastores e líderes para que eles verifiquem a procedência da manifestação.

Por último

Quanto maior, mais importante, de maior relevância, maior gravidade, tanto mais Deus CONFIRMARÁ o que foi revelado, sonhado, profetizado. Deus CONFIRMARÀ, repetirá, de muitas maneiras, até a PLENA CONVICÇÃO de que tal fato é realmente uma orientação vinda de Deus para sua igreja, ou para sua vida.

Memorial

Semelhantemente, no dia da vossa alegria e nas vossas solenidades, e nos princípios de vossos meses, também tocareis as trombetas sobre os vossos holocaustos, sobre os vossos sacrifícios pacíficos, e vos serão por memorial perante vosso Deus: Eu sou o SENHOR vosso Deus. Números 10:10

E estas coroas serão para Helém, e para Tobias, e para Jedaías, e para Hem, filho de Sofonias, como um memorial no templo do SENHOR. Zacarias 6:14

Então aqueles que temeram ao SENHOR falaram freqüentemente um ao outro; e o SENHOR atentou e ouviu; e um memorial foi escrito diante dele, para os que temeram o SENHOR, e para os que se lembraram do seu nome. Malaquias 3:16

A Igreja tem perdido a sua memória de visões e revelações. As novas gerações de crentes necessitam conhecer o que o Espírito de Deus tem realizado no meio da Igreja. Sonhos, visões e revelações têm que ser anotadas, até mesmo como um referencial futuro para o aprimoramento e desenvolvimento no uso dos dons. A igreja deve ler sobre visões, narrar as de caráter didático (onde o Espírito ilustra realidades por meio de parábolas) relembrar sonhos e os escrever, guardar as revelações, visões e manifestações que forem reconhecidas pelo grupo como verdadeiras, para comparar no futuro as coisas que acontecerão, quais eram os planos de Deus (específicos) e o que pode ser efetivamente alcançado.

A memória pode ficar em cadernos, pode ser colocado em meio digital (era da informática) pode ser guardada pelos líderes. Serão os “livros da revelação da Maranata”, “apontamentos do Espírito Santo”, ou “coisas que temos ouvido e visto” ou “livros das revelações de Deus”, seja lá o nome que queiram dar, onde ficara REGISTRADO o que Deus tem falado ou revelado para sua igreja. A finalidade é uma só, fortalecer a fé dos filhos de Deus no poder, através de testemunho do poder de Deus e das demonstrações do Espírito. As anotações não são para substituição da DOUTRINA, ou do ENSINO.   AS ESCRITURAS pertencem para todo sempre a REVELAÇÃO PLENA da pessoa de Deus, a salvação, o Senhorio de Cristo, a BASE, a PERFEIÇÃO, ETC. Só um lembrete pra que no futuro um falso mestre não deturpe o princípio e queira substituir as Escrituras pelos livros de apontamento. Mas se fazem necessários e no futuro a igreja se ressentirá de não registrar o que Deus hoje está realizando.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: