Fator Melquisedeque – Nos Vikings

“Porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio”.

Eclesiastes
Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs na mente do homem a idéia da eternidade, se bem que este não possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até o fim.
E Romanos
2:15
pois mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os),

Numa cena simples, Abraão depois da vitória contra a coalização de cinco reis caldeus, é recebido no caminho por um sacerdote de nome Melquisedeque, rei de Salém, que oferta diante de Deus que chahma de Altíssimo, pão e vinho. Abraão reconhece que Melquisede serve ao Deus que ele também adora, e confirma que aquele sacerdócio, anterior ao sacerdócio levítico, anterior a Lei, como verdadeiro, oferecendo dízimo de tudo que conquistou. Mil anos depois é dito que o sacerdócio de Cristo, em salmo profético dado pelo Espírito a Davi, seria segundo a linhagem deste sacerdote desconhecido.  E novamente em Hebreus no Novo testamento é confirmado que o sacerdócio de Cristo será segundo a ordem sacerdotal de Melquisedeque. Podemos ver que existe uma alto grau de revelação divina acontecendo fora da história judaica. Toda a terra é alcançada de algum modo pela revelação das leis e dos palnos divinos, assim como o conhecimento de Deus não é creditado somente aos que tiveram contato formal com as Escrituras, com o anúncio do Evangelho ou com qualquer tipo anterior de conhecimento da Lei concedida mediante Moisés. Faz parte da revelação universal de Deus ao ser humano. E a partir deste princípio soberano, podemos ver nas criações culturais de diversos povos, nas realizações artísticas, na criação literária das nações, nas diversas expressões linguísticas, e mesmo influenciando o comportamento humano,  essa narrativa de coisas espirituais, essa identidades com fatos, atitudes e coisas relacionados aquilo que Deus nos tem PLENAMENTE revelado a igreja através da REVELAÇÃO ESPECÍFICA que é a Palavra de Deus. Toda a plenitude divina foi dada a conhecer ao homem através de CRISTO, porém o homem sem Cristo não foi deixado sem testemhuno. E o homem, por mais ateu que se demonstre, por mais distante da influencia cristã que se apresente, não pode fugir dessa identidade primeira, desse testemunho que abraça mesmo todas as coisas criadas. Cristo está gravado na essencia do universo, e em todas as coisas criadas, podemos ver as marcas que nos conduzem a conhece-lo melhor.  A partir daí, não há como a imaginação humana produzir produtos intectuais que de algum modo não possam ser utilizados para apoio da pregação do evangelho. Onde existirem filmes, musica, histórias, contos, narrativas, poesia, desenho animado, e mesmo nas atividades médicas, de engenharia e correlatas, sempre existirão parábolas bíblicas, enunciados evangélicos, citações indiretas a textos do Velho Testamento ou do Novo, situações que nos forçam a visualizar realidades do Evangelho, comparações com realidades bíblicas diversas.  Resta ao professor procurar essas parábolas, ensinamentos bíblicos e tudo o que servir para esclarecimento das Escrituras, incorporado, na maioria das vezes de modo inconsciente, aos desenhos animados, aos comerciais, aos cartazes de propaganda. Em parte, os pregadores já fazem mão deste recurso utilizando-o largamente em suas ilustrações. Mas de modo específico para a área do ensino, isso é patente em milhares de filmes expostos nas centenas de locadoras espalhadas pelo país a fora. Disney, Metrogolden-Meier, Holiwood, Universal, Warner, etc. possuem centenas de filmes que mostram cenas (são pouquissímos filmes que sejam 100% utilizáveis) que possuem belíssimas cenas que nos permitem VER fatos das Escrituras.
As denominações que proibem e demonizam milhares de situações e aspectos culturais por não estarem claramente relacionados nas Escrituras, na verdade rejeitam parte integrante do próprio Evangelho. Quando um pastor impede seus fiéis de verem desenhos animados, de escutarem musicas seculares, quando proibe a leitura de jornais, ou dos filhos irem ao cinema, ou participarem de algumas festas culturais, de lerem e conhecerm a poesia, as artes, a literatura, estão limitando a capacidade de viverem com a liberdade que o Evangelho concede ao ser humano de se expressar, de viver.  Alguns se libertam, de vicios, de comportamentos malignos e são presos por outras prisões, prisões DOUTRINÁRIAS e saem da cadeia do mundanismo, das prisões espirituais criadas pela vã filosofia humana e vão parar nas cadeias criadas por líderes que DESCONHECEM as Escrituras ou que DESCONHECEM o Espírito de Deus. 
A busca pelo PODER espiritual, pela AUTORIDADE em CRISTO muitas vezes leva crentes de diversas igrejas a um porão obscuro da rejeição de tudo, porque enxergam a tudo como contaminado. E na medida que assim o fazem, REJEITAM a base do EVANGELHO que é o amor ao próximo, dando mais valor as suas DOUTRINAS que ao ser humano, VALORIZANDO suas POSTURAS de SANTIDADE mais do que ao desejo de se aproximar, se misturar, tornar-se próximos, compartilhar, deixando de causar ESCANDALO por suas atitudes de SECTARISMO. 
EVANGELHO que prega USOS e COSTUMES que PROIBEM ou LIMITEM a vida humana sempre tem uma única razão. O MEDO. Não é a santidade que torna determinadas posturas tão anacronicas, tão destituidas de sentido. É o MEDO. Muitos CRIAM  NORMAS de CONDUTA porque não estão preparados para viver e compartilhar a vida. Amam mais ao CÉU do que ao PRÓXIMO. Idolatram suas próprias convicções. Erguem bandeiras com o nome de suas doutrinas escrito nelas. Creem que DEUS é propriedade particular, patenteada e com copyright somente da tal denominação. E que só se REVELARÀ na ESTRITA e EXAUSTIVA concordancia com os PRECEITOS, DOGMAS, USOS e COSTUMES de sua DENOMINAÇÃO. Fora de certa hermeneutica não há salvação – diriam os mais abastados.
A linha que separa o louco do sábio é muito tenue. E milhares são  (sem o ser) DOUTRINADORES, MESTRES, SENHORES DO CONHECIMENTO, milhares tomaram para si, em suas mãos a ESSENCIA do ENSINO. Ou o PLENO discernimento da REVELAÇÃO. São senhores da PALAVRA, são guardiães da ortodoxia evangelica. 
O doutrinador é aquele que pensa que sabe, e ele, essa alma supra-capacitada, instruirá os futuros mestres de sua denominação, e o resultado é sempre o mesmo. 
LIMITAÇÃO da VIDA. Seja a secular, seja a espiritual.

Deixando essas reclamações de lado:




  Fator Melquisedeque – Nos Vikings

Contam as lendas vikings que os deuses moravam em Asgard, um lugar localizado no topo de Yggdrasil, a Árvore que sustenta os nove mundos. Nesta árvore, o deus Odin conheceu a sua maior provação e descobriu o mistério da sabedoria: as Runas. Alguns versos do Edda Maior, um livro de poemas compostos entre os séculos IX e XIII, cantam esta aventura de Odin em algumas de suas estrofes:
“Sei que fiquei pendurado naquela árvore fustigada pelo vento,
Lá balancei por nove longas noites,
Ferido por minha própria lâmina, sacrificado a Odin,
Eu em oferenda a mim mesmo:
Amarrado à árvore
De raízes desconhecidas.
Ninguém me deu pão,
Ninguém me deu de beber.
Meus olhos se voltaram para as mais entranháveis profundezas,
Até que vi as Runas.
Com um grito ensurdecedor peguei-as,
E, então, tão fraco estava que caí.
Ganhei bem-estar
E sabedoria também.
Uma palavra, e depois a seguinte,
conduziram-me à terceira,
De um feito para outro feito.”
Esta é a criação mítica das Runas, na qual o sacrifício de Odin (que logo depois foi ressucitado por magia) trouxe para a humanidade essa escrita alfabética antiga, cujas letras possuiam nomes significativos e sons também significativos, e que eram utilizadas na poesia, nas inscrições e nas adivinhações, mas que nunca chegaram a ser uma língua falada.

Jesus será crucificado numa árvore morta e cortada – “Sei que fiquei pendurado naquela árvore fustigada pelo vento,
Por cerca da hora NONA, ele morrerá –   Lá balancei por nove longas noites,
O Sacerdote Simeão profetiza para Maria – Uma Lamina transpassará sua alma –
Ferido por minha própria lâmina, sacrificado a Odin,
Eu em oferenda a mim mesmo:
Jesus se oferece a si mesmo em sacrificio ao Pai, como se oferesse a si mesmo.
E o faz por livre escolha.

Quando da crucificação, ninguém o ajudou. Os discipulos fogem antes do julgamento. Ninguém apoiará a Jesus ou sua inocencia, nem herodes, nem Anás, nem Caifás, nem Pilatos, nem ninguém. Um profeta centenas de anos antes apropria a reclamação de CRISTO sobre esse duro momento, – Já que ninguém me ajudou, pelo meu próprio braço tive que resgatar minha vitória.  


Amarrado à árvore
De raízes desconhecidas.
Ninguém me deu pão,
Ninguém me deu de beber.

“Pai, em tuas mãos entrego meu espírito”, bradou o Senhor, e logo após desceu até o hades, realizando coisas por nós desconhecidas. Esse mistério é relelado a Paulo que entende o texto das Escrituras dizendo que Ele desceria até o mais profundo abismo.

Meus olhos se voltaram para as mais entranháveis profundezas,
Até que vi as Runas.
Com um grito ensurdecedor peguei-as,

Hebreus declara que não temos um sacerdote que participou de nossas fraquezas.
Isaías declara que após sua ressurreição Jesus se alegraria pelo trabalho de suas mãos.
Paulo declara que em Cristo são divisados os segredos da Sabedoria.
E Apocalipse declara: está FEITO. Tudo está feito!

E, então, tão fraco estava que caí.
Ganhei bem-estar
E sabedoria também.
Uma palavra, e depois a seguinte,
conduziram-me à terceira,
De um feito para outro feito.”

Quase (?)  uma visão sobre a morte de Jesus.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: