Meu pai, meu pai

Meu pai. Meu pai.

Jun/2001 

Nessa semana eu fui assustado pela dor de uma jovem que gritava as palavras
acima, de um modo o qual jamais ouvi em toda minha vida.
Eu desci para ver o que acontecia, podia ser que alguém tivesse caido, se
acidentado.
Próximo a uma coluna da garagem um rapaz segurava uma  moça desesperada
O som de sua voz ecoou pelos prédios vizinhos, pelas janelas,
e principalmente por dentro de mim.
Eu não sabia o que tinha acontecido, eu não a conheço,
e ela ainda gritava – meu pai – quando eu me aproximava.
Antes que eu chegasse ao local,  a jovem e o rapaz que a consolava
deixaram a garagem e subiram para o seu prédio.
A coluna onde ela chorou deveria ser chamada coluna do pranto.
Entendi que um pai morrera naquela noite.
Que aquele era o choro pela perda de um pai.
Na noite posterior o porteiro me anunciou
que o diretor do hospital Rocha Faria, Mário Arcoverde Sobrinho
Fora assassinado por tentar impedir compra de remédios superfaturados.
Esse homem era o pai, pela qual a jovem chorava
E que morrera naquela noite.
Naquela triste noite.
Eu creio que existe um tipo de Evangelho
E um tipo de pregação
Que é maior que as nossas contradições teológicas.
E que somente este tipo de evangelho,
Do mesmo tipo que explodia de dentro da boca do próprio Cristo
Que ardia no interior da alma dos profetas
Que ainda incomoda e acorda os anjos
Que ainda desestrutura a própria dor
Eu creio que esse evangelho puro e não destilado
Que disse para o impossível que ele não é forte o bastante
Que diz para a morte que ela não é ninguém,
é o único capaz de colocar o dedo transversalmente sobre os lábios
de uma filha que grita
Meu pai, meu pai.
E eu creio que somente este
E outro nenhum dos feitos de palha, barro, filosofia ou boa intenção
É o verdadeiro evangelho.
E um dia.
Esse evangelho
Que explodia na boca do Senhor
Será pregado na terra.
para que nunca mais
hajam colunas banhadas de pranto
e noites banhadas de dor
de filhas gritando.
meu pai,
meu pai.

5 Respostas to “Meu pai, meu pai”

  1. Soraya Moura Says:

    Foi uma grande surpresa para nossa Família ao nos depararmos com este poema que tanto mexeu com nossos corações. A filha de que o poema fala é minha cunhada e, de uma forma tão cheia de emoção, esse autor retratou aquele momento que hoje ainda está tão vivo! Seu Mario Arcoverde é um espírito iluminado, o qual tivemos a honra de conhecer. Sua retirada de nossas vidas foi covarde, mas Deus deu força às suas filhas, netos, esposa e a todos que o conheciam para sempre lembrar da pessoa alegre, humilde e correta que ele era.
    Muito gostaríamos de saber quem foi essa pessoa que escreveu algo tão forte que nos marcou ontem, hoje e sempre.
    Caso alguém possa nos dar essa honra, gostaríamos que nos enviasse um e-mail.
    Desde já agradecemos o retrato, em palavras, de algo que não conseguiríamos nos expressar de uma maneira tão leve, porém forte.
    Desejamos muita Paz a todos e um especial obrigada ao autor.
    Atenciosamente,
    Soraya Moura

    • wellcorp Says:

      Querida, o autor do poema é também o autor do blog, e esse humilde moderador que agora responde a você! Sou o Welington, esposo de Claudia e pai da Jessica e da Jade, morador do condominio na época dos fatos relatados e testemunha do que aconteceu, desse momento de dor de sua familia. Mas, de certo modo, dor de todas as familias. Eu vi em tudo algo que transcende as palavras, e algo que devia ficar registrado para as gerações vindouras; Assim como as cenas das Escrituras, uma tão poderosa quanto, vi ocorrer diante de meus olhos. Fica Meu abraço a sua familia, ofereço-vos a poesia, é vossa, pertence a humanidade, e em especial,
      de modo completo e inalinável, a vós. Ainda moro no mesmo prédio lá rua Pinto Teles, tenho um blog com muitos textos e convido a ler os outros, lá na Welington Corporation http://www.wellcorp.blogspot.com o email de contato é o welingtonj@zipmail.com.br
      E que Deus que habita lugares espetaculares possa conceder a alegria e a restauração completa de sua familia, dos sonhos, da convicção de que
      Ele é poderoso para esclarecer os mistérios dessa nossa vida tão cheia de perdas, mas ao mesmo tempo.
      tão absurdamente cheia de Cristo.
      Paz a sua familia!!
      Um beijão e um abração, tudo misturado e não necessariamente na mesma ordem.

      Welington José Ferreira

      Ps. Muito lindo o que foi escrito em agradecimento…

  2. Algo Says:

    Welington,só esta semana fiquei sabendo a autoria do poema mais lindo que já li em minha vida.OBRIGADA!!! Você conseguiu colocar neste poema todo o sentimento,toda a dor mas tudo de uma forma tão bela tão profunda,de uma forma que eu,que vivi o fato,não conseguiria colocar.Li outros poemas seus e realmente vc tem uma alma “diferente”,que consegue ver coisas que na maioria das vezes não vemos. Não encontro outra palavra que não,OBRIGADA, qualquer coisa que eu tente falar a mais não corresponderia ao que senti quando li o poema,se vc permiti,nosso poema.
    Em nome de minha família e em meu nome te agradeço e pedimos a Deus que abençoe vc e sua família te iluminando sempre para que possa nos presentear com seus poema.
    Terei a oportunidade de te agradecer pessoalmente,mas agora aceite estas palavras de coração.
    Um grande abraço,Cármem Arcoverde

  3. Algo Says:

    Obs.:Certamente papai tb te agradece.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: