Um convite para dançar – Peça de teatro


Uma peça de teatro bíblica.




Peça:

Um convite para dançar

Welington José Ferreira

Ato I Início – Festa Inicial

Todos congelados – personagens posicionados no palco – casais que irão dançar.

Musica 01 musica começa a tocar –

Grupo dançando com intenso falatório

Entra a amiga intercessora (Renata) com outra amiga (Camila) procurando a Sarah

Renata: Paulo, você viu a Sarah?

Paulo sem ouvir: O quê?

Renata gritando: A Sarah! To procurando a Sarah!

Paulo sem ouvir: Quem?

Renata desistindo: Deixa pra lá!

Dirigindo-se a outra pessoa, à Silvia,

Camila: Silvia! Você viu a Sarah?

Silvia: O quê?

Camila: A Sarah! Tô procurando a Sarah, faz um tempão!

Silvia: Vi! Tava com o Carlos lá no Ponche!

Renata e Camila passando entre os convidados indo até o balcão, dirigem-se ao Carlos;

Renata: Carlos!

Carlos: Oi Rê! Oi Camila. O que está pegando?

Renata: A Sarah! To atrás dela a um tempão, a Silvia falou que ela tava contigo!

Carlos: Tava com ela até agora mesmo! Tava aqui do meu lado! Eu me virei e ela sumiu…

Mão saindo atrás do balcão…

Camila espantada: SARAH! O que houve? Você caiu? Se machucou?

Sarah meio bêbada: Não…Tá tudo bem…, eu acho…Eu acho que tropecei..quando ia pegar o ponche… Nossa! O mundo ta girando…


Renata aflita: Gente! Me ajuda a segurar a Sarah!

Carlos, amiga e Renata tentando conduzir a Sarah sentam ela num banco na frente da platéia – primeiro plano, os convidados dançam mais para trás e vão saindo pela porta de trás

Sarah: Ta tudo bem… não precisa me segurar não… nossa…tá tudo azul…

Diminui a musica de rock. Pessoal continua dançando. Entra musica romântica.

Ato II O Encontro

Musica 02 super-romantica – entrada do Lucas

Entra o Lucas.

Congelam todos – menos Sarah, que meio embriagada fixa os olhos em Lucas.

Quando Lucas chega próximo a Sarah – Descongelam.

Lucas para Sarah: Tudo bem? O que houve…

Sarah, olhos fixos em Lucas.

Camila: Nossa amiga tomou um porre, de novo…

Lucas: Tudo bem, isso acontece…eu sou médico, deixa eu dar uma olhada pra ver como ela está…

Congelam todos (posição que estiverem)… Musica romântica aumenta de volume – Só se movimentam Lucas e Sarah…Lucas pega o pulso, tenta medir a pulsação.

Sarah: Ta tudo bem… Só passei mal um pouco… Foi só um mal-estar, tenho dormido mal ultimamente… Acho que exagerei na bebida…

Descongelam todos

Renata: Sarah…Você sabe que não pode chegar nem perto de bebida alcoólica…

Sarah: Eu sei… Eu sei… tive aquela crise hepática, fiquei quase um mês no hospital

Congelam todos. Musica romântica aumenta de volume

Lucas fala: Você tem que se cuidar.

Sarah: Eu sei. Obrigado.

Descongelam. Sarah entrega um cartão para Camila.

Lucas: Se ela passar mal, qualquer coisa, estou trabalhando aqui perto e se for possível, eu venho ajudá-la.

Camila concordando com a cabeça: Ok. Obrigado. Valeu.

Lucas: De nada. E sai.

Pausa da musica romântica

Ato III – A menina má

Grupo de violeiros e jovens sentados nos bancos da frente da platéia, ou no chão, fazem introdução (violão) e começam a cantar Venenosa de Rita Lee.

Venenosa

Parece uma rosa
De longe é formosa
É toda recalcada
A alegria alheia incomoda
Venenosa.. Êh êh êh êh êh..
Erva venenosa.. Êh êh êh..
É pior do que cobra cascavel
Seu veneno é cruel.. el. el. el..

Entra a badgirl. Olha para o grupo com indignação, o grupo para imediatamente de tocar.

Badgirl para Sarah: Cara! Tu tá mal dimais! Parece que foi cuspida por um jacaré. Poxa, sou tua amiga, falei que era pra você beber um pouco, não pra encher a cara…

Renata: Você ficou maluca, Hera? Você conhece a Sarah a tanto tempo, você sabe que ela não podia chegar perto de bebida!

Badgirl: Você é muito preocupadinha. Deixa a menina viver a vida. Ela vai vomitar um pouco, dormir mal, acordar com uma baita enxaqueca e ta tudo bem.

Renata: Você pode até ser, mas pode ser que a Sarah não acorde mais. Você é muito irresponsável.

Badgirl: Quer saber? Daqui a pouco ela ta legal. E eu já to indo. A noite é uma criança. Fui.

Grupo de violeiros enquanto Hera se vai:

Venenosa

De longe não é feia
Tem voz de uma sereia
Cuidado não lhe toque
Ela é má pode até te dar um choque

Venenosa.. Êh êh êh êh êh..
Erva venenosa.. Êh êh êh..
É pior do que cobra cascavel
Seu veneno é cruel.. el. el. el..

Enquanto hera vai embora o grupo vai cantando e diminuindo o volume,

Musica 04 Inicia música orquestral.

As meninas conversam em off

Entra o anjo I. Caminha suavemente e se aproxima das meninas que não o enxergam. Toca Camila que olha para trás sem enxergar e continua conversando. Renata então olha fixamente em direção do anjo. Ele olha para ela. Então balança a cabeça e continua conversando com Sarah (cena muda, só com o som da musica ). O anjo então se afasta e se posiciona no canto do palco.

Música 05 de suspense (Inicio da cena)

Renata tenta levantar a Sarah. Sarah se apóia em Carlos e na Camila. Ela se levanta, dá alguns passos, fica zonza, desmaia e cai derrubando ruidosamente (caixas de papelão) objetos na sala.


Renata desesperada: Sarah! Sarah! Olhando para Camila: Camila ajuda aqui!

Camila corre para socorrer.

Camila: Ela está suando frio!

Renata: Ela está gelada.

Carlos: Gente, eu vou sair pra buscar socorro!

Renata: Cadê o celular. Liga para o médico.

Carlos: Tô saindo. (e corre)

Renata: Alô? Alô: Escritório do doutor Lucas? Ele se encontra? Não? É uma emergência! Assim que ele chegar você… pausa… tá… pausa… tá… desligando.

Camila aflita: E então?

Renata desesperançada: Não se encontra…

Camila: E agora, o que a gente faz?

Renata olha para a platéia e intercede: Pai, socorre a Sarah, não permita que ela morra! Pai celestial ajuda-nos!

Anjo próximo à parede se aproxima e estende a mão em direção a platéia.

Musica 07 De Volta para o Futuro – tema-

Imediatamente grupo de paramédicos aparece, empurrando a porta e correndo em direção a Sarah.

(grupo com violões aplaude e assobia)

O anjo olha em direção ao grupo, que se aquieta.

Paramédicos tentam restaurar Sarah. Perguntam o que aconteceu. Renata e Camila tentam explicar. Médico-chefe orienta enfermeiros para deitarem a cabeça sobre travesseiros, deitando-a de lado. Tiram a pulsação e verificam sinais vitais. Um dos enfermeiros grita:

Ela não está respirando…

Renata e Camila ficam extremamente abaladas. Um dos enfermeiros a conduz ao canto do palco. A médica e o outro lutam para reanimar a Sarah. A Médica coloca o respirador artificial na Sarah.

A partir deste momento todos em off. A cena continua com os personagens sem as vozes e simulando câmera lenta. Música crescente para o ATO IV

Ato IV – A batalha

Anjo se posiciona mais na lateral do palco

música 08 orquestral

Entra a Morte lentamente. Caminha até o placo com a foice a mostra, passando a mão pelos presentes.

Morte: Essa noite, como todas as outras, parece ser uma excelente noite para MORRER!!…

Morte caminha em direção a Sarah.

Anjo: Não. Hoje não é uma dessas noites

Morte: E quem é aquele que de mim, discorda? Poderia você mudar a história? Ou se colocar entre mim e as minhas vítimas?

Anjo: Só um mensageiro. A história já foi mudada antes. Você sabe.

Morte: É verdade. Houve exceções. Mas não nesta noite. Nessa noite não haverá exceções.

Anjo desembainhando a espada: Isso nós veremos.

Morte: Já que é assim, já que você quer se estressar … venha… PASSARINHO….

Correm em direção um do outro e começa a luta espetacular entre a morte e o anjo.

Morte enquanto luta: Não depende de você, passarinho! Depende de um mistério, cujo cheiro eu não sinto aqui nesta noite!

A espada cai das mãos do anjo.

Morte: A luta terminou… passarinho…

Música sinistra. Cena dos para-médicos com vozes, em velocidade normal. Morte vira de costas para eles e caminha em direção a platéia.

Enfermeiro grita: Perdemos ela! Não está reagindo!

Morte levanta a foice ainda de costas. Entra o anjo II correndo. Passa velozmente pela morte e entrega um rolo contendo uma instrução para o anjo I. O anjo I lê a instrução. Então corre, pega a espada, vira para a morte e grita:

Anjo I: Essa noite haverá exceção!

Anjo I vai até Sarah e a toca.

Sarah reage.

Paramédicos gritam: Está reagindo!

Grupo de violôes faz a festa.

Paramédicos saindo com Sarah pela porta de trás do palco.

música 09

Anjo II corre até a frente da Morte, faz uma dança engraçada e sai correndo. Morte indignada sai correndo atrás do anjo II. Morte correndo atrás do anjo II. Grupo de violões dança também coreografando passos de dança parecida com medieval ou country terminando exatamente no acorde final.

ATO V – Cena da fofoca

Grupo de meninas ruidosas entra comentando o que houve. Grupo de violões começa a tocar:

Venenosa


Se coça como louca, rachada tem a boca
Parece uma bruxa, um anjo mau
Detesta todo mundo, não para um segundo
Fazer maldade é seu ideal.

(pausa)

Entra Badgirl: Dirige-se ao grupo. Começa a comentar:

Gente, que papelão o da Sarah na festa a três dias atrás! Foi horrível! Disseram que retorceu a boca, que botou os bofes pra fora! Não morreu por sorte! Eu sempre aconselhei a ela, sabe que sou amigaça dela, mas, não! Ela não escuta. Nunca me escuta. Soube até que teve parada cardíaca! Morreu! Gente! Como é pode chegar a esse ponto! Se não sabe beber não bebe! Eu jamais teria feito um papelão desses. Falando nisso, vim convidar você todas, minhas amigas, pra um desfile que euzinha, sim a única, glamourosa, chiquérrima (como diz aquele deputado), estarei, qual estrela em noite de festival, desfilando! E ai, vamos nessa!

Sai apressadamente, com o grupo de meninas a seguindo.

Grupo de violões

Venenosa

Venenosa.. Êh êh êh êh êh..
Erva venenosa.. Êh êh êh..
É pior do que cobra cascavel
Seu veneno é cruel.. el. el. el..

ATO VI

Retorna Sarah pela parte da platéia, acompanhada de Renata, Camila e Carlos. Ela está com uma muleta e caminha com dificuldade. Carlos corre pra frente das meninas e implica:

Carlos: Tá raso! Tá fundo! Tá raso! Tá fundo!

Renata: Para de implicar com ela.

Sarah: Deixa ele, que vou mostrar já já o peso desse negócio aqui (apontando para a muleta)

Camila: O que os médicos disseram?

Renata: Parece que a crise afetou uma parte dos nervos. Sarah terá

que fazer fisioterapia.

Sarah: Nem vem que não tem que eu não vou fazer fisioterapia. Isso é horrível. Você não tem idéia de como esse negócio dói.

Todos chegam no palco

Sarah. Além do mais, vocês sabem que eu não tenho parentes próximos. E nem distantes… Não conheci meus pais, fui criada num orfanato. Não tenho como custear as despesas com fisioterapia.

Não tenho mesmo.

Silencio (5 seg). Sarah abaixa os olhos.

Congelam, até que os anjos se posicionem no palco.

Música 10 de fundo Entra o anjo I pelo meio da platéia, juntamente com o Anjo II.

Renata percebe a diferença no ambiente. Então fala

Renata: Sarah! Não perca nunca as esperanças! Você estar viva já um milagre! Os médicos estarem tão próximos! O Carlos quase atropelou a ambulância na rua. Se eles chegassem minutos depois…

Camila: Eu tenho um número aqui do hospital de fisioterapia estadual, vamos ligar, quem sabe…

Renata: Dá esse telefone aqui, deixa eu ligar.

Renata disca. Toca a campainha.

Camila: Tá esperando alguma visita Sarah?

Sarah: Não.

Grupo de Violões entoa um cantico

Renata desligando o telefone.

Carlos: Deixa que eu atendo. (vai até a porta lateral)

Entra o fisioterapeuta. Ele sorri e cumprimenta a todos e se apresenta:

Fisioterapeuta: Boa Noite.

Os anjos fazem uma reverencia.

Ato VII

O Fisioterapeuta sorri para os anjos discretamente.

Fisioterapeuta: Eu fui enviado pela superintendência do hospital geral para cuidar de uma jovem que sofreu de um trauma nervoso e está com problemas de locomoção.

Camila: Com certeza, você foi enviado ao lugar correto. Acabamos de chegar do hospital trazendo nossa amiga que sofreu um “acidente”, por assim dizer na semana passada…

(Renata brinca de bêbada…Sarah tenta bater nela com a muleta)

Então se afasta para o Fisioterapeuta tenha acesso a Sarah.

Fisioterapeuta se dirigindo a Sarah,: Oi Sarah. Está tudo bem?

Sarah: Fora o fato de eu não poder anadar direito… tá tudo bem. Foi o Hospital que enviou o senhor? Eu queria agradecer… mas eu não possuo nenhum plano de saúde… eu não sei se possuo condições de pagar por algum tipo de tratamento particular…

Fisioterapeuta: Não se preocupe com isso. Não vai ser cobrado nada de ninguém, tem minha garantia. Tudo já está pago. Faz parte de um plano que foi estabelecido já tem bastante tempo, para pessoas que dele necessitem, acho que esse é o seu caso…

Renata: Com certeza! O senhor aceita um café? Quer sentar?

Fisioterapeuta olha fixamente para Renata. Então sorri.

Fisioterapeuta: Não é necessário. Agradeço sua cortesia. OBRIGADO RENATA.

Renata: O senhor conhece meu nome?

Fisioterapeuta: Eu estava lá no hospital. Vi vocês chegarem, mas não pude conversar com vocês naquela hora. Mas participei de toda a história. E também sei o que aconteceu antes. Sei da festa, da bebedeira… Virando-se para o Carlos: Sei que o Carlos quase foi atropelado pela ambulância. E também sei que a Camila esteve presente em tudo que aconteceu.

Carlos: Nossa! Um médico supeeeeerinteressado! Que legal. Muuito legal!!!!

Camila: E quando a Sarah pode começar o tratamento?

Fisioterapeuta: Hoje. Hoje é o melhor dia pra gente começar.

Renata: Doutor, ela também teve uma parada cardíaca. O coração dela pode ter sido afetado?

Fisioterapeuta: Com certeza. Mas, eu também vou tratar do coração dela.

Badgirl chegando repentinamente: Só do dela não, pedaço de bom caminho…

Grupo de violões:

Venenosa

Venenosa.. Êh êh êh êh êh..
Erva venenosa.. Êh êh êh..
É pior do que cobra cascavel
Seu veneno é cruel.. el. el. el..

O fisioterapeuta olha fixamente para o grupo de violões. Eles se calam e sentam rapidamente.

Badgirl: Nossa! Quem é esse bonitão… Não vão me apresentar não suas egoístas? Deixa que então, eu me apresento… Pedaço de bom caminho, sou Hera, formosa, lua, dançante, esvoaçante, vaidosa e luminosa!!! Uma sensação de mulher, amiga pro que der e vier.

Renata, Camila e Carlos começam a tussir.

Badgirl: Gesticulando: Vocês são umas invejosas e você seu Carlos, tá zuando de mim porque eu nunca te dei bola! E diga-se de passagem…eu nunca vou dar, você nunca iria me merecer… Vocês não sabem dar valor a uma amizade como a minha, radiante… forte…luminosa…

Fisioterapeuta: E mentirosa.

Badgirl congelada.

Grupo de violões faz a festa! (gritam UuaaaaaaaaaH!) Cantam:

Venenosa

Como um cão danado
Seu grito é abafado
É vil, é mentirosa
Deus do céu, como ela é maldosa

Venenosa.. Êh êh êh êh êh..
Erva venenosa.. Êh êh êh..
É pior do que cobra cascavel
Seu veneno é cruel.. el. el. el..

Badgirl: Como? O quê? Eu não entendi direito… Do que você me chamou? Eumíssima, belíssima, chiquérrima e absolutamente convicta do que faço… Você, seu desaforado, me chamou de quê?

Fisioterapeuta: Mentirosa. Nem você mesmo acredita no que diz. A muito você aprendeu a dissimular. A esconder o que sente. Você se esconde atrás de um personagem.

Grupo de violões dá a introdução de Venenosa, o Fisioterapeuta olha gravemente para eles… que finalizam rapidamente.

Fisioterapeuta: Você disse que a Sarah podia beber bebidas alcoólicas, e incentivou sua amiga a fazer algo que poderia ter prejudicado-lhe seriamente. Essa tem sido sua vida. Sem medir conseqüências. Você perdeu a vergonha de mentir. Você se entregou de tal modo a esse personagem que interpreta, que já não se importa mais. Com nada e com ninguém!

Badgirl: Eu me importo sim! Você não conhece meu coração pra me julgar dessa maneira!

Fisioterapeuta: Hera Esteves Miguelitta Tavares Maciel Ferreira Gonzales. Você tem dois irmãos. A sua irmã mais velha casou tem três meses. Sua mãe, ainda jovem, morreu no dia em que você nasceu. Seu pai é empresário e passa a maior parte do tempo viajando. Você tem enxaquecas nas terças. Tem medo de escuro, de sapos, de grilos, e de ficar sozinha. Guarda uma foto de sua mãe sobre o álbum de recortes do seu quarto. Tem pesadelos, sobre a possibilidade da morte de seu pai. Quando você acorda de noite vai para a cama de seus irmãos e só consegue dormir abraçada com um urso que seus irmãos chamam de encardido, que está quase se desfazendo. Dentro do ursinho você guarda um brinco que ganhou aos 13 anos. Você caiu uma vez da sacada, torceu o tornozelo, bateu a cabeça e ficou três dias em coma. Quando abriu os olhos a primeira coisa que você viu foi uma pomba na janela. Você sonha em fazer medicina veterinária, desde que seu hamster morreu. E é apaixonada pelo Carlos…

Grupo de violões: Óóóóóóóóóóóóhhhh!

Badgirl: Você ficou maluco! Eu apaixonada pelo…

(musica 11 romântica…) Durante o decorrer da musica ela balança negativamente a cabeça, cruza os braços, então se vira e lentamente olha para o Carlos, que também fica olhando para ela.

Fisioterapeuta: Você pede a Deus para que ele proteja seus irmãos todos os dias. Então fica duas horas se maquiando. A cerca de dois anos, conheceu duas meninas perversas, que se divertiam fazendo coisas desagradáveis. Foi quando você começou a mudar. Você tem um sentimento de raiva as vezes quando vê gente que não possui o que você tem, mas ainda assim são mais felizes do que você. E desde semana passada seu coração não está presente quando você ora. Quando, ainda de madrugada você decidiu não se arrepender de nada mais que você fizesse.

(silencio)

Badgirl: Eu… Eu… Retiro o que disse. Você deve ser um mago, ou profeta ou sei lá o quê. Você me assusta. Mas seja como for, seja você quem for…

… você conhece meu coração…

Mas…

eu não sabia que podia fazer tão mal…pra Sarah.

Pra mim ela tava de frescura…

Fisioterapeuta: Também é verdade. Você não imaginava o mal que a bebida causaria a Sarah. Mas, além de mentir para ela, mentiu para suas amigas sobre o que fez.

É tempo de você se arrepender dos seus erros É tempo de recomeçar. Hera.

E recomece se reconciliando com sua amiga.

Musica 12 do Astor Piazzola – Libertango.

Badgirl atônita…bastante indecisa… vai para frente e para trás: Ora faz pose, ora coça a cabeça. Tenta ir embora, o grupo de violões aponta para Sarah. Até a musica diminuir.

Badgirl (Hera): – Ok. Ok! Entendi a mensagem.

Chega perto de Sarah.

Hera: Desculpa. Perdoa, amiga. Eu falo demais. Demais. Por minha culpa você ta aí. Me perdoa. Então abraça a Sarah por um tempo. E sai correndo.

O Fisioterapeuta acena para os anjos, que a acompanham.

O grupo de violões:

Diferente hoje é meu coração

Diferente hoje é meu coração…

Cristo deu-me a paz e o perdão

Diferente hoje é meu coração…

(passa alguém com uma placa enorme APLAUSOS)

Ato VIII

Carlos: Cara! Tu deve ser psicólogo também! Eu nunca vi essa marrenta se desculpar com ninguém! To impressionado.

Fisioterapeuta: Você vai ficar impressionado com muita coisa ainda,

Carlos…

Virando-se para Sarah:

Fisioterapeuta: A gente continua o tratamento amanhã ao entardecer, está bem?

Sarah balança afirmativamente a cabeça.

O Fisioterapeuta se despede e sai.

Camila: Que tratamento? Ele nem tocou na Sarah?

Renata olha para Sarah que está sorrindo.

Renata: Tocou sim. Tocou sim, Camila.

Carlos: Gente! Tá tarde, temos que ir embora.

Os três se despedem e saem.

Entra o narrador.

Narrador. Oi. Sou o narrador, cheguei um pouco tarde para narrar a peça, eu sei, eu sei, é que eu também faço teatro de marionetes e também peça infantil e estava narrando ainda agora “a pequena Sereia” ali no teatro do Leme. Tive que me trocar as pressas pra tirar a fantasia de Sebastião, aquele caranguejo (mostra a mão com uma pata de caranguejo, depois esconde) o engarrafamento tá uma loucura e…ahamm.. Com voz grave:

Narrador: Nas semanas seguintes o Fisioterapeuta sempre volta ao entardecer para cuidar de Sarah. Mas, apesar de sua paciência e carinho, Sarah parece não progredir.

Musica 13 entre dois mundos de Phil Collins

Fisioterapeuta tentando andar com Sarah e as muletas, fazendo exercícios com a sua perna, Sarah reclamando. – a partir daqui simulação de câmera rápida – Os amigos chegam, brincam, falam entre si, falam com o fisioterapeuta e se vão.

Sarah: Isso é difícil demais! Não consigo!

Fisioterapeuta: Consegue sim.

Sarah: Vem pro meu lugar e vê se você consegue!

Fisioterapeuta: Já estive em seu lugar, sei o que é sentir dores.

Sarah: Você quebrou as pernas?

Fisioterapeuta: Quase… Por muito pouco minhas pernas não foram quebradas.

Sarah: Acidente de carro?

Fisioterapeuta: Não. Mas, ainda possuo as cicatrizes. Por hoje, está bem, não?

Sarah: Graças a Deus!

Fisioterapeuta sorri.

Fisioterapeuta: Sarah, estou indo. Mas, já volto.

Efeito especial – Barulho de chuva

Sarah: Com essa chuvarada? Acho melhor você esperar um pouco, se não vai ficar molhado que nem um pinto.

Fisioterapeuta: Então eu vou sentar um pouco aguardando a chuva melhorar.

Sarah bocejando: Eu to toda moída. Deixa eu encostar um pouco ali… bocejando e se reclinando num sofá. — Quer um café???

Fisioterapeuta: Não. Pode deixar.

Sarah adormecendo. O Fisioterapeuta senta de seu lado.

Anjos I e II chegam e se posicionam

Ato IX

Musica 14 medonha

Entra a morte e outras quatro potestades. Vem com bastões andando sincronizadamente.

Morte: Outra noite, especial como todas as noites, excelente noite para se morrer. E quem temos AQUI ESTA NOITE? Ora, ora… Se não meus dois pardais prediletos. E que temos mais… vejamos… um homem! Tadinho … se ele tinha pretensões com a menina…, nem começou a namorar…que triste… já vai ficar viúvo…

Morte virando-se para os anjos: Passarinhos? Só estão vocês aqui e esses mortais? Não imaginavam que poderiam me impedir para sempre…Eu esperava encontrar uma multidão de anjos neste lugar. Tanto que vim preparada essa noite. Vejam, comigo meus companheiros.

Aponta para os quatro:

Desesperança.

Medo

Desespero

E é claro, Dor.

Morte: Vocês já devem ter visto seu trabalho por aí. Profissionais de verdade. Essa noite é noite de trevas e de escuridão. E quanto a vocês, passarinhos. Eu hoje abri uma exceção. Essa noite,

até os anjos… morrerão

Começa a luta entre as quatro potestades e os dois anjos. Cada duas potestades luta com um único anjo.

O fisioterapeuta observa atento, sem se mover

Os dois anjos são vencidos (duração da luta até o final da musica)

As quatro potestades arrastam os anjos e os lançam ao chão.

Morte: Fácil demais. Agora…onde estávamos quando fomos interrompidos? Ah! Conduzir docemente uma doce menina a um doce sono eterno…

Fisioterapeuta coloca a mão sobre a Sarah.

Fisioterapeuta: Não está esquecendo de ninguém?

Morte se espanta: Uh? Mortal? Você pode me ver? Um ser humano que me enxerga? Cada dia eu fico mais espantada com essa existência. E… (fitando-o)…como se isso não bastasse… que estranho…eu não te reconheço!!! E olha que possuo uma grande memória…conheço a todos os que já nasceram ou não puderam nascer…e principalmente a todos os que vão morrer. Muita gente. E por incrível que pareça… não reconheço a você..

Fisioterapeuta: Mas eu conheço a você. E digo que, verdadeiramente, você não irá tocá-la. Nem agora. Nem nunca.

Morte: Risada sinistra (há-há-há-há!) E você, filho de adão, descendente de homem, com que exército pensa em me impedir? Com aquele ali? (aponta para os anjos caídos)

Fisioterapeuta: Não necessito de um exército.

Musica 15 triunfal

(Efeitos especiais – Bom era ter um ventilador gigante nessa hora)

Fisioterapeuta se levanta. As quatro potestades caem. Ele caminha em direção a morte. As quatro potestades são afastadas como se uma ventania as varresse. Os dois anjos se levantam, fazem reverencia e se afastam. Ele se aproxima da morte que começa a tremer, ajoelha-se e deixa cair das mãos a foice.

Morte: Quem é você, filho do homem?

Fisioterapeuta: Alguém que você pensou que tinha vencido certa vez. Alguém , sobre quem, você cantou vitória, por três dias.

Projetando no telão:

Colossensses 1:15

E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo.

A morte se levanta, coloca o capuz e em silencio, com seus asseclas, ainda tremendo, vai embora.

O Fisioterapeuta se aproxima de Sarah, beija-lhe o rosto e lhe cobre. Então sai acompanhado dos dois anjos. (até aqui a musica triunfal)

Placa com aplausos

Ato X!

Voltam Carlos, Camila, Renata, pela manhã. Convidando a Sarah para um grande baile.

Renata: Acorda preguiçosa!

Sarah cheia de sono: Que horas são?

Camila: amanheceu criatura!

Carlos interrogando: O que a senhora estava fazendo ontem a noite?

Sarah: O mesmo que tenho feito nas últimas semanas. Fisioterapia.

Renata: Até que horas você fez a fisio?

Sarah: Acho que até umas oito horas da noite e então o médico…

Sarah fica estática…

Sarah: ele tinha ficado aqui, estava chovendo e eu adormeci…

Renata, Carlos, e Camila em uníssono: Sei.

Renata rindo: Quer dizer que ele ficou até tarde aqui…

Sarah: Tava chovendo! Queria que eu expulsasse ele?

Carlos: Hum… Tá rolando um clima…

Sarah para Camila: Camila, me empresta a muleta, faz um favor…

Renata: Crianças, parem com isso. Carlos, para de implicar com a Sarah. Nós estamos aqui pra te CONVOCAR pra um baile que a gente está fazendo em homenagem de quem? De quem?

Camila e Carlos cantando: Da Sarah!

Camila: Vamos Sarah! Vai ser o maior show! A gente vai se divertir, vamos dançar e você descansa um pouco desse tratamento.

Sarah: E como é que vocês pensam que eu vou dançar com essa coisa – aponta para a muleta? Que graça tem eu ir para um baile e ficar sentada?

Carlos: Porque você não convida o fisioterapeuta. Sério! O cara é superlegal, tem trabalhado pra caramba, porque veja só, pra te agüentar, esse cara cara é um santo homem…

Sarah tentando acertar o Carlos com a muleta.

Camila: Vai Sarah! Convida o médico! Taqui o telefone lá do hospital.

Sarah: Não sei não…

Grupo em coro: Liga! Liga! Liga!

Grupo de violões: Liga! Liga! Liga!

Placa com dizeres para a platéia: (Liga! Liga! Liga!)

Sarah olhando para a platéia: Ta bom! Ta bom! Eu ligo.

Placa com aplausos de um lado e depois silencio do outro.

Sarah pega o telefone celular de Camila. Disca para o telefone do hospital. O pessoal atende, mas informa que lá não existe nenhum serviço de fisioterapia particular. Também não enviam médicos para as residências.

Carlos: Fala sério! Então você foi atendida por um fantasma!

Renata: Para com isso Carlos! Sarah? Talvez ele não seja do mesmo hospital. Ou talvez tenha feito isso sem que o hospital tenha recebido os relatórios.

Sarah: Mas, eu não tenho mais como localizá-lo a tempo.

Camila: Não importa. A gente quer você lá. Ele deve ter um modo de saber que vai haver o baile. Sei lá, ele sabia de tanta coisa. Até me assustava de vez em quando.

Carlos, se apronta que a gente te pega as oito.

Sarah acena com a cabeça enquanto o grupo se despede.

Musica 16 triste.

Sarah sozinha. Ela se dirige para a porta lateral e sai.

Ato XI

Musica de Rock – Grupo arrumando em velocidade fantástica a festa. Quando terminam de arrumar, posicionam as cadeiras e chega o grupo para a festa, primeiro as meninas para se assentar na cadeira. Sarah chega por ultimo.

Antepenúltima musica 17 – para a festa

O salão repleto de bolas de festa. A festa começa com um grupo dançando. Sete cadeiras na parede do salão com sete meninas bem vestidas, Sarah sentada no meio. A Festa começa com os rapazes convidando as moças, que começam a dançar. Uma a uma, alternadamente são tiradas para dançar. Menos Sarah, que fica sem graça, sozinha sentada na última cadeira enquanto o grupo dança, mexendo em sua muleta.

sai a musica da festa e entra outra muito linda (semelhante tipo The Book of Love – Peter Gabriel)

Do fundo da platéia caminhando lentamente vem o fisioterapeuta com roupas de gala. As meninas da festa olham todas espantadas, enquanto os casais se afastam. Ele sobe no palco e se dirige para Sarah. Lentamente estende sua mão para ela e lhe convida a dançar.

Placa (platéia de pé)

Grupo de violões pede que o pessoal se levante.

Sarah: Eu não posso dançar de muletas.

Fisioterapeuta: É verdade. Por isso essa noite e pelo restante de sua vida, você terá que dançar sem elas.

Ele pega a muleta e lança longe. Puxa a Sarah do banco que consegue se firmar com os dois pés. Então segura as mãos de Sarah e dança com ela pelo meio dos outros convidados. O Fisioterapeuta roda com ela que começa a rir.

Placa (Aplausos ruidosos)

Ato XII

Musica 20 FINAL Espetacular para o convite. Durante a duração da musica, a explicação da peça, um convite a salvação deve ser realizado enquanto a musica estiver tocando convidar as pessoas para irem a frente e depois orar por elas.

Lista de personagens:

(06) Seis casais para as danças nas festas.

(01) Um narrador

(01) Camila

(01) Renata

(01) Carlos

(01) Lucas

(01) Sarah

(06) Seis moças para a cena da fofoca.

(01) A morte

(04) quatro Potestades

(02) dois anjos

(01) Hera – a badgirl

(01) médico chefe

(02) dois Enfermeiros

(03) três violeiros

(06) Pessoas de apoio para cantar no grupo de violeiros

(01) Fisioterapeuta

(02) Seis casais para a festa final

(01) Menina da Placa

Paralelos com as Escrituras:

Dança final com a Sarah:

Jo 10:10 – O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.

Quando Carlos fica impressionado com o fato do Fisioterapeuta saber tanto sobre Hera:

João 1

47 Jesus viu Natanael vir ter com ele, e disse dele: Eis aqui um verdadeiro israelita, em quem não há dolo.

48 Disse-lhe Natanael: De onde me conheces tu? Jesus

respondeu, e disse-lhe: Antes que Filipe te chamasse, te vi eu, estando tu debaixo da figueira.

49 Natanael respondeu, e disse-lhe: Rabi, tu és o Filho de Deus; tu és o Rei de Israel.

50 Jesus respondeu, e disse-lhe: Porque te disse: Vi-te debaixo da figueira, crês? Coisas maiores do que estas verás..

Quando o Fisioterapeuta levanta a Sarah no final

Ato 9:34 – E disse-lhe Pedro: Enéias, Jesus Cristo te dá saúde; levanta-te e faze a tua cama. E logo se levantou.

Quando as potestades são lançadas no chão:

Colossensses 1:15

E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo.

Quando Hera perde perdão a Sarah

Colossensses 2:12

Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade;

Quando o fisioterapeuta diz que a morte jamais levará a Sarah

Jo 8:51 – Em verdade, em verdade vos digo que, se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte.

Quando a morte tem sua arma caindo no chão:

1Co 15:55 – Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?

Quando o segundo anjo conversa com o primeiro:

Zac 2:3 – E eis que saiu o anjo que falava comigo, e outro anjo lhe saiu ao encontro.

Quando o primeiro anjo recebe um decreto das mãos do segundo,

Apo 10:8 – E a voz que eu do céu tinha ouvido tornou a falar comigo, e disse: Vai, e toma o livrinho aberto da mão do anjo que está em pé sobre o mar e sobre a terra.

Welington José Ferreira


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: